LUTO

Corpo do delegado Anderson Liberato será sepultado em Fortaleza

O delegado Anderson Liberato, de 32 anos, foi morto na tarde deste sábado (17), em Jataúba

Corpo do delegado Anderson Liberato será sepultado em Fortaleza

O delegado Anderson Liberato, de 32 anos, foi baleado em Jataúba - Foto: Reprodução

O corpo do delegado Anderson Liberato, de 32 anos, morto na tarde do sábado (17), será sepultado e enterrado em Fortaleza, no Ceará, nesta segunda-feira (19).

Anderson Liberato era natural de Fortaleza, no Ceará. Formado em letras e direito, ingressou na corporação no dia 29 de janeiro de 2018. Além de Brejo da Madre de Deus e Jataúba, ele também já atuou na cidade de Santa Cruz do Capibaribe e em Caruaru.  

>> Entidades e colegas de profissão lamentam a morte do delegado Anderson, morto em Jataúba

>> Veja quem era Anderson Liberato, delegado de Brejo da Madre de Deus morto a tiros em Jataúba

Entenda o caso

O delegado da Polícia Civil de Pernambuco Flávio Anderson Liberato Alves do Nascimento, de 32 anos, estava de folga, mas o titular da Delegacia de Brejo da Madre de Deus não deixou o compromisso de lado e seguiu com a equipe até o município vizinho de Jataúba para cumprir dois mandados de prisão.

Os alvos eram um homem de 43 anos e uma mulher de 42, ambos suspeitos de envolvimento na morte de José Edielson de Almeida Ramos, que ocorreu no último dia 08 de abril, em Jataúba.

Segundo informações da polícia, ao entrar em um prédio na Avenida José Lopes de Siqueira, onde os suspeitos moravam, o delegado prendeu a mulher. Ao perceber a movimentação, o homem teria atirado pela janela do banheiro contra o delegado, que revidou e acertou o acusado.

Anderson foi socorrido até a Unidade Mista Ana Argemina após receber três tiros – um no braço, o outro na coxa esquerda e o último na região clavicular. Esse último disparou atingiu o pulmão e coração do delegado.

Três médicos tentaram estabilizar o delegado até que o helicóptero da Secretaria de Defesa Social chegasse para o transportá-lo até a capital pernambucana, mas infelizmente ele não resistiu e morreu.  

Suspeito de matar delegado é executado dentro de ambulância

Suspeito de matar o delegado Anderson em Jataúba foi morto a tiros na ambulância
Suspeito de matar o delegado Anderson em Jataúba foi morto a tiros na ambulância
Reprodução/NE10 Interior

A mulher foi encaminhada até a delegacia da Polícia Civil de Santa Cruz do Capibaribe para passar por audiência de custódia.

Já o homem foi atingido na troca de tiros com a polícia e socorrido pelo Samu em direção ao Hospital Regional do Agreste, na cidade de Caruaru, mas ao chegar na BR-104, na altura no Sítio Jurití, a ambulância e o carro da polícia que realizavam a escolta foram interceptados por outro veículo. Homens armadas entraram dentro da unidade móvel e executaram o suspeito.

Luto 

Em nota, a Polícia Civil de Pernambuco disse que Anderson vinha traçando uma importante trajetória na PCPE e que sua morte representa uma grande perda para a corporação.

A Polícia Federal de Pernambuco disse lamentar profundamente o falecimento do delegado e espera que os colegas, amigos e familiares encontrem conforto e paz diante de um acontecimento tão triste.

Já a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco ressaltou que o delegado era um profissional competente e dedicado e que essa é uma perda irreparável para a segurança pública.

A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe) também manifestou luto pela perda do colega. 

Quem são os suspeitos?

O promotor Rolemberg Feitosa deu detalhes sobre o ocorrido em entrevista exclusiva à TV Jornal Interior. O casal José Carlos de Santana Rosa Júnior, de 43 anos, e Elisangela Almeida Alves Santana, de 42 anos, tiveram os nomes divulgados pelo promotor nesta segunda. Eles eram investigados pelo homicídio do tio de Elisângela. No sábado, dia da morte do delegado, houve o cumprimento dos mandados de prisão deles em Jataúba.

"O delegado, junto com sua equipe, tinha feito uma investigação preliminar e chegado a esses possíveis autores [do crime de homicídio]. Eles, inclusive, iriam ser presos temporariamente para que as investigações finalizassem nesse sentido", detalhou o promotor.

Rolemberg explicou que, apesar da decisão da Justiça ter sido a respeito da prisão temporária, tudo caminhava para um possível indiciamento do casal na morte do tio de Elisângela. O homem teria sido morto por causa de uma dívida e a princípio esta é considerada a principal motivação do crime.

A Justiça aguarda a conclusão do inquérito para divulgar qual dos dois, de fato, teria cometido o crime. "A princípio, eles [os suspeitos] teriam participado, de alguma forma, em 'comunhão de desígnio', como a gente chama, na morte da vítima", explica o promotor.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.