ESTADO DE SáUDE

Bruno Covas tem piora e quadro é irreversível, diz boletim médico sobre prefeito de São Paulo

De acordo com o comunicado, Bruno Covas está no quarto do hospital acompanhado dos familiares

Bruno Covas tem piora e quadro é irreversível, diz boletim médico sobre prefeito de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, está de licença das atividades - Foto: Governo do Estado de São Paulo

Com informações da Folha de São Paulo

O novo boletim médico do prefeito Bruno Covas (PSDB) aponta que o estado de saúde dele piorou, nesta sexta-feira (14), e o quadro é considerado irreversível. De acordo com o boletim, o político vem "recebendo medicamentos analgésicos e sedativos" no Hospital Sírio-Libanês, onde está internado e faz tratamento contra um câncer na região do estômago desde 2 de maio. Segundo o comunicado, Bruno Covas está no quarto acompanhado dos familiares.

O prefeito de São Paulo já havia ficado internado por 12 dias em abril, após exames constataram que os tumores se alastraram para o fígado e também para os ossos. Ele chegou a ter alta no dia 27 de abril, mas voltou a ser internado no começo do mês de maio. Bruno Covas iniciou o tratamento em 2019 e, recentemente, teve licença das funções na prefeitura, mesmo tentando evitar se afastar.

Em fevereiro, Bruno Covas realizou um tratamento quimioterápico após os médicos descobrirem um novo nódulo no fígado. Na época, ele não precisou se afastar de funções na Prefeitura de São Paulo.

Histórico

Em outubro de 2019, Bruno Covas foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos. Após o diagnóstico, ele iniciou um tratamento de quatro meses de quimioterapia.

> Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, pede licenciamento do cargo para tratar câncer

Em fevereiro do ano passado, os exames demonstraram regressão da lesão esôfago-gástrica e da lesão hepática, mas uma biópsia detectou que o câncer nos linfonodos ainda persistia e os médicos decidiram então iniciar uma nova fase de tratamento, baseado em imunoterapia, uma estratégia que permite ao próprio sistema imune do paciente combater a doença. Exames feitos pelo prefeito em abril demonstraram controle da lesão em linfonodos.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.