MANIFESTAÇÃO

Contrariando recomendação do MPPE, manifestantes do Recife protestam contra o governo Bolsonaro


O ato simbólico está ocorrendo neste sábado (29) em mais de 85 cidades do País

Filipe Farias Batista
Filipe Farias Batista
Publicado em 29/05/2021 às 9:46
Bruno Campos/ JC Imagem
FOTO: Bruno Campos/ JC Imagem
Leitura:

O protesto nacional contra o presidente Jair Bolsonaro também está ocorrendo no Recife. Além da capital pernambucana, pelo menos outras 85 cidades no País estão aderindo, neste sábado (29), à manifestação contrária à presidência ao Governo Federal.

De acordo com informações da repórter Cinthia Ferreira, da TV Jornal, o protesto simbólico aqui no Recife está ocorrendo na Praça do Derby, com a presença de diversas lideranças e membros de centrais sindicais, movimentos estudantis e sociais, além de representantes da sociedade civil. Lembrando que o Ministério Público de Pernambuco recomendou, neste sábado (29), que a manifestação não ocorresse devido ao decreto Estadual no combate à pandemia.

 

Sobre a ato realizado, Carlos Elias, representante do CSP Conlutas Pernambuco, falou sobre a luta. "Esse ato simbólico está mantendo todas as medidas de proteção. Nossa reivindicação é contra o governo Bolsonaro e Mourão; garantir auxílio emergencial para todas as pessoas com necessidades; contra a reforma administrativa que vai atacar a saúde, a educação e destruir os serviços públicos; contra as privatizações; contra a destruição do meio ambiente e dos povos indígenas. Por isso, convocamos a sociedade para construir uma grande greve geral em favor da saúde pública, da educação e do meio ambiente", declarou.

Manifestantes do ato contra o governo Bolsonaro mantendo os cuidados sanitários
Manifestantes do ato contra o governo Bolsonaro mantendo os cuidados sanitários
Bruno Campos/ JC Imagem

PETROLEIROS

Quem também está aderindo a essa mobilização nacional é a Federação Única dos Petroleiros (FUP). "Nossa Federação está participando dessa manifestação aqui e nos demais estados do País. Esse ato vem sendo realizado com prudência e cautela, seguindo as orientações da OMS. Não é um ato irresponsável. Temos compromisso conosco e com a população. Viemos aqui para externar as pautas dos petroleiros, que somos contrários a esse processo de privatização que está em curso em todo o Brasil", declarou Luiz Lorenzon, integrante da entidade petroleira.

Mais Lidas