saúde

Pesquisadores afirmam ter descoberto potencial medicamento contra coronavírus

De acordo com os cientistas, o antiviral poderia limitar a evolução da covid-19 na pessoa

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 04/06/2021 às 15:29
Robson Valverde/SES-SC
FOTO: Robson Valverde/SES-SC
Leitura:

O Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos informou que um grupo de pesquisadores descobriu um potencial medicamento para o tratamento do coronavírus. O antiviral, conhecido como TEMPOL, poderia limitar a evolução da covid-19 ao restringir a atividade de uma enzima. A informação foi revelada na quinta-feira (03). De acordo com a Agência Estados, os cientistas planejam realizar mais testes em animais para avaliar a eficácia do tratamento.

"Precisamos urgentemente de tratamentos adicionais eficazes e acessíveis para covid-19. Um medicamento oral que impede a replicação do SARS-CoV-2 seria uma ferramenta importante para reduzir a gravidade da doença", disse a diretora do Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano, Diana W. Bianchi, M.D., Diretora do NICHD.

Fungo preto

Além da pandemia, que se arrasta mês a mês desde 2020, as variantes da covid-19, além das cepas investigadas, um fungo raro e agressivo preocupa as autoridades de saúde. A mucormicose, que está sendo chamada também de 'fungo preto', já acometeu quase nove mil pessoas na Índia. De acordo com médicos indianos, a doença está aumentando o número de vítimas da covid-19, especialmente entre mais jovens. No Brasil, alguns casos já estão sendo investigados pelo Governo Federal.

Milhares de casos foram registrados entre pacientes que se recuperaram de covid-19 ou que estavam em processo de recuperação. Portanto, existe uma relação entre a doença e a pandemia de coronavírus.Os médicos afirmam que a relação está nos esteroides usados para tratar a doença. Diabéticos correm risco maior de sofrer de mucormicose.

Variante indiana

Em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus e suas devidas variantes, como a indiana, que assola o país do Taj Mahal, foram detectados 12 casos da variante indiana com mutação nepalesa da Covid-19 em Portugal, país da Europa. A informação foi divulgada pelo investigador do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), João Paulo Gomes.

João Paulo Gomes garante que esta estirpe "não é nova" e diz ainda que a ocorrência de mutações quando uma nova variante chega a um país "é normal" e resulta de um processo de evolução do vírus "à medida que se vai transmitindo de pessoa para pessoa".

Mais Lidas