LUTO

Morre de covid-19 professor especialista em ataques de tubarões em Pernambuco, Fábio Hazin

Professor que ajudou a explicar e evitar ataques de tubarões em Pernambuco, Fábio Hazin, morreu de covid-19, no Recife

Morre de covid-19 professor especialista em ataques de tubarões em Pernambuco, Fábio Hazin

Fábio Hazin era engenheiro de pesca e professor da UFRPE - Foto: Acervo/JC Imagem

O engenheiro de pesca e professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFPE), Fábio Hazin, morreu, na manhã desta segunda-feira (7), de covid-19. A assessoria de comunicação da UFRPE confirmou morte cerebral. Fábio estava internado em um hospital particular do Recife.

Agravamento

Devido ao agravamento da covid-19, na última terça-feira (1º), ele precisou ser intubado e passou por sessões de hemodiálise, mas não resistiu às complicações da infecção pelo novo coronavírus.

O professor e engenheiro Fábio Hazin foi uma importante liderança científica no combate a ataques de tubarão. Tinha mestrado e doutorado pela Universidade de Tóquio, além de pós-doutorado em Avaliação de Estoques de Recursos Pesqueiros Pelágicos Migratórios, no Southeast Fisheries Sience Center, em Miami (EUA). Ele também tinha especialização em direito internacional do mar, pela Rhodes Academy.

Nota da UFRPE

Veja nota da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFPE), na íntegra:

Fábio Hazin foi internado com dificuldades Covid-19 na última terça –feira (1º/06), no Hospital Português, e não resistiu, tendo morte cerebral confirmada na manhã desta segunda (7/06).

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) comunica, com grande pesar, a morte cerebral, confirmada na manhã desta segunda-feira (7/06), do professor Fábio Hissa Vieira Hazin, do Departamento de Pesca e Aquicultura.

A administração superior decretou luto oficial de três dias e expressa solidariedade a familiares e amigos. O reitor da UFRPE, Marcelo Carneiro Leão, lamentou a relevante perda, que atinge a comunidade internacional de pesquisa sobre a megafauna marinha, da qual o pesquisador era referência. “O professor Fábio deixou grande contribuição para a ciência e a pesquisa. Sentimos muito por essa perda e por tantas que temos enfrentado na comunidade universitária e no Brasil de maneira geral”, declarou.

Graduado em Engenharia de Pesca pela UFRPE, o professor possuía mestrado e doutorado em Marine Science and Technology/ Fisheries Oceanography na Tokyo University of Marine Science and Technology; e pós-doutorado em Avaliação de Estoques de Recursos Pesqueiros Pelágicos Migratórios no Southeast Fisheries Sience Center/NMFS/NOAA, Miami- EUA. Também obteve especialização em Direito Internacional do Mar, pela Rhodes Academy (Center for Oceans Law and Policy/ University of Virginia School of Law; the Aegean Institute of the Law of the Sea and Maritime Law; the Law of the Sea Institute of Iceland; the Max Planck Institute; and the Netherlands Institute for the Law of the Sea.

Sua atuação principal era em Oceanografia Pesqueira e Engenharia de Pesca, com ênfase em grandes peixes pelágicos (atuns, agulhões, tubarões), atuando principalmente em: biologia reprodutiva, distribuição, comportamento, migração; Gestão Pesqueira e Direito Internacional do Mar, tendo exercido diversos cargos relevantes no Brasil e no mundo.

Professor associado da UFRPE, no Curso de Engenharia de Pesca e no Programa de Pós-graduação em Recursos Pesqueiros e Aquicultura, e na UFPE, no Programa de Pós-graduação em Oceanografia, exercia atualmente, a função de coordenador Geral Científico do Programa Arquipélago de São Pedro e São Paulo. No período de 1995 a 2005, foi coordenador do Programa REVIZEE- Programa para a Avaliação dos Recursos Vivos na Zona Econômica Exclusiva Brasileira/ Região Nordeste.

Foi convidado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para diversas palestras e contribuições.  Entre 2008 e 2009, presidiu o processo de negociação na FAO/ONU para a elaboração e adoção do Tratado Internacional sobre Medidas de Estado Porto para Prevenir, Deter e Eliminar a Pesca Ilegal, Não Regulada e Não Reportada, aprovado pelo Conselho da FAO, em Dezembro de 2009; e a negociação também na FAO/ONU para adoção das Diretrizes Internacionais para o Desenvolvimento da Pesca Artesanal e de Pequena Escala.

Entre 2004 e 2012, exerceu a função de Presidente do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões- CEMIT e de diretor do Departamento de Pesca e Aquicultura da UFRPE.

Também presidiu a Comissão Internacional para a Conservação do Atum Atlântico (ICCAT) e a Associação Brasileira de Engenharia de Pesca. A convite da FAO, presidiu o processo de avaliação do Comitê de Pesca para o Atlântico Leste e Central (CECAF) e da Comissão de Pesca do Oceano Índico Sudoeste (SWIOFC), além do processo de avaliação da Organização de Pesca do Atlântico Noroeste (NAFO) e da Comissão de Pesca do Oceano Pacífico Oeste e Central (WCPFC).

Foi ainda Representante Científico do Brasil junto a Comissão Internacional para a Conservação do Atum Atlântico (ICCAT) (1998-2015); e presidente do Subcomitê Científico do Comitê Consultivo Permanente de Gestão de Atuns e Afins (1998-2015).Em 2015, exerceu o cargo de Secretário Nacional de Pesca do Ministério da Pesca e Aquicultura e, interinamente, de Ministro de Estado da Pesca e da Aquicultura. Em 2014, foi eleito Presidente, junto a ONU/DOALOS, Divisão de Oceanos e Lei do Mar, do Processo de Consultas dos Estados Parte do Acordo de Nova Iorque, e, em 2015 e 2016, para presidir o processo de revisão do referido Acordo. Entre 2012 e 2014, exerceu o cargo de vice-presidente e, de 2014 a 2016, de presidente do Comitê de Pesca da FAO (COFI).

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.