Transfobia

Morre Roberta Silva, mulher trans queimada viva no Recife, após duas semanas lutando no hospital


Roberta teve 40% do corpo queimado em um brutal ataque cometido no centro do Recife, na madrugada de São João

Atualizada às 13h13
Atualizada às 13h13
Publicado em 09/07/2021 às 9:48
Diego Nigro/JC Imagem
FOTO: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

Reportagem em atualização.

Roberta Silva, a transexual queimada viva no Recife, morreu nesta sexta-feira (9). A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital da Restauração, onde a vítima do brutal ataque estava internada desde 24 de junho. A morte foi causada por insuficiências renal e respiratória, segundo a assessoria.

Ao longo de duas semanas de internação, Roberta sofreu muito. Ela teve os dois braços amputados e teve muita dificuldade para respirar. Ela estava intubada, internada na Unidade de Tratamento Intensivo desde o último domingo (4).

De acordo com os médicos, Roberta teve 40% do corpo queimado. Os ferimentos foram bastante profundos. Ela teve queimaduras de terceiro grau.

Mulher trans queimada viva no Recife

O ataque aconteceu na madrugada entre os dias 23 e 24 de junho, no Cais de Santa Rita, no centro do Recife. Um adolescente de 17 anos foi apreendido e está cumprindo medida socioeducativa.

Em conversa com a codeputada estadual Robeyoncé Lima (Juntas/Psol) antes de ser intubada, Roberta disse que a agressão foi cometida por discriminação. A comunidade LGBTQIA+ trata o caso como um episódio de transfobia.

Quarta trans morta em um mês em Pernambuco

Roberta foi a quarta mulher trans morta em Pernambuco em menos de um mês. Além dela, outros dois casos foram confirmados no Recife e um outro caso em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco.

Mais Lidas