LUTO

Grávida de 38 semanas perde bebê e morre no Recife após passar por três hospitais; familiares denunciam negligência médica

Vanessa Karine de Araújo, de 24 anos, passou por três hospitais de Pernambuco e faleceu nessa terça-feira (10), no IMIP.

Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 11/08/2021 às 17:33 | Atualizado em 16/02/2022 às 16:31
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Uma mãe natural de Machados, município de Pernambuco, perdeu o seu bebê e, um dia depois, morreu no Recife. Na última segunda-feira (9), a criança foi retirada por volta das 8h, no Hospital Ermírio Coutinho, em Nazaré da Mata e foi checado que ela estava sem vida.

Vanessa Karine de Araújo, de 24 anos, estava grávida de 38 semanas.

>>>'Quando cheguei lá, ela estava totalmente morta', diz sogra de jovem grávida que perdeu o bebê e morreu no Recife

>>>Hospital de Nazaré da Mata se manifesta sobre grávida que perdeu o bebê e morreu no Recife

Ela foi transferida para o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira - IMIP, no Recife, na noite da segunda (9), mas apesar dos cuidados médicos, ela teve uma parada cardíaca e morreu por volta das 10h30 desta terça-feira (10).

A família de Vanessa acredita que a causa da morte foi negligência médica. Antes de ser transferida para o hospital em Nazaré da Mata, ela passou mal e foi socorrida para o Hospital Edson Álvares, na cidade de Machados, onde a família mora.

"Ela se preparou para ter o filho na cesária, porque tinha medo de ter em parto normal. O pré-natal estava tudo certo. No último domingo, ela sentiu a boca dormente, dor de estômago, dor de barriga. No primeiro hospital, tudo indica que o que deram nela foi injeção. Não examinaram. Foi quando transferiram ela para Nazaré.", diz Edileuza Mendes, sogra de Vanessa e avó da criança, em entrevista à reportagem da TV Jornal.

"Na segunda-feira de manhã, ela foi transferida para o segundo hospital. Aí foi quando o meu filho ligou para mim. Eu subi correndo para Machados, quando cheguei lá e vi a situação que ela estava. Sem um pingo de sangue, sem reação nenhuma. Totalmente morta", lamentou dona Edileuza

"Em Nazaré, quando escutaram o coração da criança, já estava morta. Fizeram de tudo para salvar a mãe, mas não conseguiram.", concluiu.

Investigação

A família agora cobra que seja feita uma investigação para apurar se houve negligência médica ou algum erro de procedimento durante as transferências de hospitais.

Nota do Hospital Ermírio Coutinho na íntegra

A direção do Hospital Ermírio Coutinho informa que, às 8h da última segunda-feira (9/8), a paciente citada pela reportagem deu entrada na unidade em estado gravíssimo, encaminhada de serviço municipal. A mulher, que estava com idade gestacional de 38 semanas, passou por cesárea de emergência que constatou o óbito fetal, intra-uterino. A paciente foi submetida a histerectomia subtotal, recebeu transfusão de sangue e, após estabilização, foi transferida, no mesmo dia, ao Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip). É importante destacar que a gestante recebeu toda a assistência necessária da equipe multiprofissional do Hospital Ermírio Coutinho, passando por todos os procedimentos necessários diante do seu quadro clínico.

Por fim, a direção da unidade, referência em obstetrícia para a região, reforça o compromisso e o empenho na assistência materno-infantil e solidariza-se com os familiares da paciente neste momento de dor.

Nota do Cremepe na íntegra

O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) informa que notícias de fato que envolvam possível infração ao Código de Ética Médica, são encaminhadas para a corregedoria desse Conselho para avaliar abertura de sindicância “ex-offício” para apuração dos fatos. A partir de então, o expediente corre em sigilo processual, para não comprometer a investigação, e segue o que estabelece o Código de Processo Ético Profissional (CPEP) – Resolução CFM Nº 2.145/2016.

Assessoria de Comunicação do Cremepe

Mais Lidas