IMUNIZAÇÃO

Covid-19: Qual é a duração e eficácia das vacinas CoronaVac e AstraZeneca?

Estudo realizado por pesquisadores brasileiros mostrou como a idade influencia na efetividade de das vacinas contra covid-19 aplicadas no Brasil

Com informações do SBT
Com informações do SBT
Publicado em 28/08/2021 às 12:00
Rovena Rosa/Agência Brasil
FOTO: Rovena Rosa/Agência Brasil
Leitura:

Um estudo realizado por pesquisadores brasileiros mostrou como a idade influência na efetividade de duas vacinas contra covid-19 aplicadas no Brasil. O levantamento da pesquisa envolveu 75 milhões de pessoas imunizadas entre 18 de janeiro e 24 de julho deste ano e foi coordenador pelo pesquisador da Fundação Oswando Cruz na Bahia, Manoel Barral-Netto.

Os resultados do estudo mostram que ambas as vacinas são efetivas na proteção contra infecção, hospitalização e óbito, considerando o esquema vacinal completo (duas doses): AstraZeneca/Fiocruz, com 90% de proteção, e CoronaVac com 75%.

A pesquisa também demonstrou que as duas vacinas oferecem proteção contra casos moderados e graves de Covid-19 frente às variantes de preocupação em circulação no Brasil no período da análise. No entanto, ao separar os grupos de vacinados por faixa etária, os dados demonstram que há uma redução na proteção com o aumento da idade e que as duas vacinas oferecem graus de proteção diferentes com o esquema vacinal completo.

>>Vai ter dose de reforço da vacina da Janssen contra a covid-19? Quando? Quem terá direito? Qual vacina será usada?

Confira o que foi descoberto no estudo:

  • - Dos 80 aos 89 anos, a vacina AstraZeneca/Fiocruz teve um índice de proteção contra morte de 89,9%, enquanto a CoronaVac apresentou 67,2%.
  • - Acima dos 90 anos, esses índices ficaram em 65,4% nos vacinados com AstraZeneca/Fiocruz e 33,6% com CoronaVac.
  • - Indivíduos que receberam as duas doses da vacina AstraZeneca/Fiocruz tiveram uma proteção de 72,9% contra infecção, 88% contra de hospitalização, 89,1% contra internação em UTI e 90,2% contra óbito.
  • - Pessoas com o esquema vacinal completo pela CoronaVac tiveram um risco de infecção 52,7% menor; 72,8% menor de hospitalização, 73,8% menor de ir para a UTI, e 73,7% menor de morrer.
  • - O esquema vacina completo da AstraZeneca/Fiocruz induziu um índice de efetividade de cerca de 90% em diferentes resultados até os 89 anos. No grupo acima de 90 anos, foi observada uma redução nos níveis de proteção, com uma efetividade contra óbito de 65,4%.
  • - No caso da vacina CoronaVac, após os 60 anos observa-se uma tendência de queda na efetividade geral de 75%, evidenciada em cada década de vida analisada, sendo esta diminuição mais sensível no grupo acima dos 80 anos e alcançando um impacto ainda maior na população acima de 95 anos, onde a efetividade contra óbito cai para 33,6%.

>>Pode tomar a terceira dose da vacina contra a covid-19 estando gripado? E a da gripe? Qual o intervalo entre a vacina da covid-19 e a da gripe?

Redução da efetividade

Segundo o estudo, a redução da efetividade pode estar relacionada à diferença das plataformas tecnológicas utilizadas pelas vacinas e seu impacto sobre a imunogenicidade, bem como a um processo natural de resposta imunológica menor em indivíduos mais idosos, chamado de imunossenescência.

Dose reforço

Os pesquisadores recomendam a necessidade de uma dose de reforço nos indivíduos acima de 80 anos que receberam CoronaVac e naqueles acima de 90 anos imunizados com a AstraZeneca.

Mais Lidas