VIOLÊNCIA

Morador que estava filmando terror em Araçatuba foi morto após criminosos o identificarem, diz polícia

Araçatuba viveu horas de terror na madrugada desta segunda-feira (30)

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 30/08/2021 às 8:43
Reprodução/Internet
FOTO: Reprodução/Internet
Leitura:

Uma das vítimas fatais do mega assalto em Araçatuba, no interior de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira (30), foi morta após ser visto pelos criminosos filmando a investida.

Em entrevista à Globo News, o capitão Polícia Militar de São Paulo, Alexandre Guedes, contou que o homem havia saído de casa para levar a esposa ao trabalho e teria retornado ao centro da cidade de Araçatuba para filmar os criminosos de dentro do seu carro. No entanto, ele foi visto pelos suspeitos, que atiraram contra ele e o mataram.

Ainda não há confirmação sobre se os criminosos conseguiram levar os valores da três agências bancárias que foram atacadas.

Também em entrevista à Globo News, o prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, contou que foram mais de duas horas de terror na cidade até a retirada dos criminosos.

>> Terror em Araçatuba: criminosos assaltam banco, amarram reféns em carros, promovem tiroteio e deixam bombas pela cidade

>> Veja os vídeos do mega assalto

No vídeo abaixo é possível ver o momento em que uma das agências é atacada:

  

Aulas canceladas

Pelo Instagram, o prefeito anunciou que as aulas nas escolas municipais e estaduais foram canceladas nesta segunda e pediu que a população evite sair de casa, já que há informações de que há explosivos em alguns pontos no centor de Araçatuba.

Veja:

Investigações

O caso é investigado pela Deic de Araçatuba, com apoio da 5ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Furtos e Roubos a Bancos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC). Em nota ao Portal UOL, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) disse que "estão em andamento buscas para a localizar os criminosos. Unidades territoriais da PM de Araçatuba, com o apoio de equipes de Bauru, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, além do Águia e da Polícia Civil participam das diligências".

Pelo menos dez carros teriam sido usados pelos criminosos.

Mais Lidas