ALERTA

O que é um tsunami e como ele ocorre? Quais os riscos de atingir estados como a Bahia e outros do Brasil?

Informação de que um tsunami pode atingir o Brasil deixou a população e estudiosos em alerta

O que é um tsunami e como ele ocorre? Quais os riscos de atingir estados como a Bahia e outros do Brasil?

Em 2018, um tsunami atingiu a Indonésia e deixou um rastro de destruição e mortes - Foto: HANDOUT

Com informações do site Brasil Escola

A notícia de que um tsunami poderia atingir o Brasil caso um vulcão localizado na costa da África entre em erupção ganhou a internet, nesta quinta-feira (16). Mas, afinal, o é um tsunami e quais estados brasileiro seriam atingidos caso o fenômeno ocorra.

O que é um tsunami e como ele ocorre? 

Com elevado potencial de destruição, os tsunamis são ondas gigantes formadas nos oceanos que acontecem em decorrência de abalos sísmicos, e outros fatores associados ao tectonismo, que são movimentos decorrentes de pressões vindas do interior da Terra, agindo na crosta terrestre. Além disso, causas externas como queda de meteoritos também podem causar tsunamis.

Essas ondas gigantes se deslocam em direção à costa em alta velocidade e têm comprimento entre 100 km e 500 km. Ao se aproximar da costa, os tsunamis perdem velocidade, mas ganham altura e atingem de 30 m a 40 m.  

Por que ocorrem tsunamis no Japão?

O fenômeno é mais comuns em áreas com instabilidade tectônica, por isso o Japão, que fica ao centro de três placas tectônicas, está tão suscetível a ser atingido por tsunamis. A constante atividade sísmica no local provoca abalos nos oceanos que causam as grandes ondas - muitas vezes fatais.

Qual o risco de um tsunami atingir o Brasil?

Vulcão na Espnha
Vulcão na Espnha
Reprodução

O Brasil está posicionado no centro de uma placa tectônica, a sul-américa, isso faz com que em seu território quase não haja perigo de atividades decorrentes de abalos sísmicos. No entanto, uma erupção vulcânica no Cubre Veija - considerada remota - poderia colocar em risco essa estabilidade.

Os especialistas alertam para que a população fique atenta e vigilante ao monitoramento da atividade vulcânica e sísmica. As atividades de vulcões são divididas em quatro níveis de alerta para uma erupção, e o Cumbre Vieja ainda está no 2.

Caso o país fosse atingido pelo tsunami, a onda gigante poderia atingir principalmente os litorais do estados localizados nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. 

Quais são as consequências de um tsunami?

As consequências dos tsunamis podem ser devastadoras tanto na água, ao engolir embarcações, quanto no continente pela possibilidade de destruir cidades inteiras. Nos eventos já registrados na história, milhares de pessoas morreram após a passagem dos tsunamis. 

Quais foram os piores tsunamis da história? 

O Círculo de Fogo, no oceano Pacífico, é a região do planeta mais suscetível à ocorrência de tsunamis, uma vez que consiste na área de maior instabilidade tectônica da Terra. No entanto, o fenômeno não se restringe somente a essa área. Conheça os 10 piores tsunamis já registrados.

  • Sumatra (Indonésia), 2004: causado por um terremoto de magnitude 9.1, que gerou ondas de 50 metros de altura. Um total de 230 mil pessoas perderam suas vidas.
  • Fukushima (Japão), 2011: gerado pelo pior terremoto da história do Japão, de magnitude 9.1. As ondas que atingiram a costa japonesa chegaram a 10 metros de altura. Algumas fontes mencionam ondas de até 15 metros. Entre suas consequências estão o acidente nuclear de Fukushima e 18.000 vítimas entre mortos e desaparecidos.
  • Lisboa (Portugal), 1755: causado por um terremoto que gerou ondas de 30 metros. Cerca de 60 mil pessoas morreram no país e também na Espanha e no Marrocos.
  • Krakatoa (Indonésia), 1883: ocasionado pela explosão da caldeira vulcânica do Anak Krakatoa, formando ondas de 37 metros. Considerando a erupção e a ação violenta das águas, 40 mil pessoas morreram.
  • Enshunada Sea (Japão), 1498: gerado por um terremoto, fez um total de 31 mil vítimas.
  • Nankaido (Japão), 1707: gerado por um terremoto, seguiram-se ondas de 25 metros. O número de vítimas foi 30 mil.
  • Sanriku (Japão), 1896: formado por um terremoto, as ondas chegaram a 38 metros. Um total de 22 mil pessoas foram vítimas no Japão, e outras quatro mil na costa leste chinesa.
  • Arica, 1868: na época a província pertencia ao Peru, mas hoje integra o território chileno. O tsunami, com ondas de 21 metros, foi causado por terremotos. Fez 21 mil vítimas e reverberou por outros países, como a Austrália.
  • Ilhas Ryukyu (Japão), 1771: gerado por terremoto e vitimou cerca de 12 mil pessoas. As ondas ultrapassaram 10 metros.
  • Baía de Ise (Japão), 1586: terremoto seguido por ondas de seis metros. Fez oito mil vítimas.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.