Imunização

Qual é o intervalo entre as vacinas contra a gripe e a covid-19? Pode tomar no mesmo dia? Pode consumir bebida alcoólica após tomar a vacina da covid-19 ou a da gripe?

Orientação anterior era que houvesse um espaço de 14 dias entre as duas vacinas, contra a covid-19 e gripe, mas o Ministério da Saúde alterou a recomendação

JC
JC
Publicado em 30/09/2021 às 9:38 | Atualizado em 04/01/2022 às 18:40
Kristine Wook do Unsplash
FOTO: Kristine Wook do Unsplash
Leitura:

Em nova recomendação, o Ministério da Saúde alterou o intervalo entre as vacinas contra a covid-19 e da gripe. A recomendação, publicada pela pasta nessa quarta-feira (29), foi proposta pela Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (CTAI-Covid) considerando a necessidade de "minimizar perdas de oportunidade para a vacinação".

Além disso, o Ministério também informou que a medida viabiliza uma única visita ao posto de saúde.

>> Coronavac, Pfizer, Janssen, Astrazeneca: pode consumir bebida alcoólica após tomar vacina contra a covid-19?

Qual o novo intervalo?

O Ministério da Saúde autorizou que as duas vacinas sejam aplicadas no mesmo dia. A orientação anterior era que houvesse um intervalo mínimo de 14 dias entre um imunizante e outro.

Campanha

De acordo com o ministro da Saúde substituto, Rodrigo Cruz, a cobertura vacinal da campanha de vacinação contra a influenza (gripe) está em 67,9%, o que representa 62,9 milhões de doses aplicadas em relação aos grupos prioritários.

.

"A orientação é para todas as faixas etárias. A gente observa que, por conta da pandemia, há um comportamento diferente do que se via praticando ao longo dos anos. Um ou outro imunizante acabou tendo, pontualmente, uma redução na cobertura vacinal. Mas o incentivo do Ministério é que todos procurem os postos de saúde para que continuem a imunização das campanhas regulares", ressaltou Rodrigo.

E pode consumir bebida alcoólica após a vacinação?

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), envolvida nas decisões do Programa Nacional de Imunização (PNI), informou que nenhuma vacina, incluindo todas para prevenir a covid-19, contraindica o consumo de bebidas alcoólicas ou exige precauções.

Não há qualquer interferência na resposta imunológica ou aumento do risco de eventos adversos.

Efeitos do álcool

É importante ressaltar, no entanto, que o uso crônico e abusivo de álcool pode enfraquecer o sistema imunológico, aumentar o risco de infecções por vírus e bactérias, além de trazer diversos outros prejuízos à saúde e à vida.

Pronunciamento do Governo

A SBIm, junto com o Ministério da Saúde, informou em abril que, até o momento, não existe recomendação voltada ao consumo de álcool e a imunização contra a covid-19.

Invalidando os comentários em redes sociais, onde várias pessoas afirmam ter reações alérgica, após tomar a vacina contra a covid-19, ou dizem que é necessário esperar 30 dias

Por meio de nota, o Ministério da Saúde afirmou que “não há nenhuma evidência sobre a relação do álcool com o comprometimento da formação de anticorpos da vacina contra a covid-19”. Em entrevista para O Globo, Mônica Levi, diretora da SBIm, disse que essa desinformação pode desestimular a população a tomar a vacina contra a covid-19.

Já a biomédica Erica Siu, vice-presidente do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa), alertou sobre o alto consumo de álcool. "A preocupação que a gente tem não é só com a vacina, é por toda a questão do consumo pesado de álcool em tempos de pandemia. É importante que as pessoas tenham um controle do consumo", disse.

Mais Lidas