CHACINA

Chacina na fronteira do Paraguai com o Brasil: Quem são as vítimas fatais? Quando e onde os crimes aconteceram? Quem fez os disparos? Quem era o alvo? Confira


Entre as vítimas está duas estudantes brasileiras

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 11/10/2021 às 17:40
Redes sociais
FOTO: Redes sociais
Leitura:

Quatro pessoas foram assassinadas na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Mato Grosso do Sul, na madrugada do último sábado (10). Entre as vítimas está Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha de Ronald Acevedo, um governador paraguaio. Além da jovem, duas estudantes brasileiras e um outro homem que acompanhavam Haylee também foram mortos. Saiba tudo sobre a chacina abaixo.

Quando e onde os crimes aconteceram?

Na saída de uma casa noturna, em Pedro Juan Caballero, quatro pessoas foram mortas a tiros na madrugada de sábado (10). As vítimas estavam dentro de um veículo com placa do Paraguai e os atiradores, em uma caminhonete. Os suspeitos desceram da caminhonete, se aproximaram, atiraram e fugiram. Todos os baleados morreram no local. Câmeras de segurança registraram o momento da chacina. Os crimes aconteceram na cidade Pedro Juan Caballero, no departamento de Amambay, no Paraguai, que fica na fronteira com o Brasil. Apenas uma rua divide os dois países. No lado brasileiro está o município de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

 

Quem são as vítimas fatais?

  • Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos. Filha do governador de Amambay, Ronald Acevedo, que foi atingida por seis tiros.
  • Omar Vicente Álvarez Grance, de 32 anos. Conhecido como "Bebeto", atingido por 31 tiros.
  • Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos. Estudante de medicina, natural de Dourados (MS), foi morta com 14 tiros.
  • Rhannye Jamilly Borges de Oliveira, de 18 anos, de Cáceres (MT), morta com 10 tiros.

Segundo a polícia, Omar era o alvo potencial dos pistoleiros. Ele e Haylee eram namorados, de acordo informações iniciais. Kaline e Rhannye, que estavam com o casal, eram colegas de Haylee em faculdade de medicina na região de fronteira.

Um dia antes, Farid Charbell Badaoui Afif, de 37 anos, parlamentar brasileiro, também foi morto a tiros, em Ponta Porã. As polícias brasileira e paraguaia investigam se os cinco assassinatos em menos de 24 horas têm relação entre si.

Quem era o alvo do ataque?

Ainda não se sabe quem era o alvo do ataque.

Quem fez os disparos?

Ainda não se sabe quem são os criminosos responsáveis pelos crimes. As motivações dos crimes ainda são investigadas. Tanto a Polícia Civil quanto a Polícia Federal apontam que a principal causa para a violência é a disputa de território por facções criminosas. A região faz parte da rota de tráfico de drogas, de armas e de outros crimes transnacionais, como explicou o chefe da Polícia Federal em Ponta Porã, Diego Santana Gordilho Leite.

Quantas pessoas foram presas?

Na manhã desta segunda-feira (11), a polícia paraguaia prendeu seis brasileiros suspeitos de envolvimento no atentado. Os nomes das pessoas detidas são:

  • Hywulysson Foresto
  • Juares Alvers da Silva
  • Luis Fernando Armando e Silva Simões
  • Gabriel Veiga de Sousa
  • Farley José Cisto da Silva Leite Carrijo
  • Douglas Ribeiro Gomes.

Na operação, também foram apreendidos três carros com documentos brasileiros referentes a outros três automóveis, celulares, joias e um recipiente com 74 gramas de maconha, segundo nota da autoridade do país vizinho. No domingo, outro brasileiro já havia sido preso após uma perseguição que envolveu policiais paraguaios e brasileiros e que resultou também na apreensão de um veículo que pode ter sido utilizado nas execuções de sábado. Dentro do carro havia pelo menos três pessoas. A polícia paraguaia informou que precisou dar “tiros intimidadores” e conseguiu prender um dos suspeitos, que não teve a identificação divulgada. O restante conseguiu fugir.

Mais Lidas