DESCASO

Bebê morre dias depois do nascimento no Recife e família denuncia negligência médica em parto

A morte do bebê aconteceu na maternidade do CISAM, no bairro da Encruzilhada. Os familiares denunciaram o caso à polícia

TV Jornal
TV Jornal
Publicado em 18/10/2021 às 16:59 | Atualizado em 29/04/2022 às 9:28
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

* Com informações de Emerson Pereira

A mãe de uma bebê recém-nascida afirma que a filha morreu após a maternidade do CISAM, que fica no bairro da Encruzilhada, na Zona Norte do Recife, ter demorado para fazer o parto da criança. A menina ainda ficou internada três dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não resistiu.

A mãe, uma jovem de 21 anos, ainda passou pela maternidade Barros Lima, do Hospital Agamenon Magalhães, e do Hospital Tricentenário, antes de fazer a cesárea.

Os parentes acreditam que a morte da bebê foi resultado de negligência médica, e o sentimento da família é de revolta. O bebê nasceu na última quarta-feira (13), mas morreu dois dias depois.

A mãe não se conforma com a perda e denuncia que foi vítima de descaso. A avó paterna da criança afirmou que questionou os médicos várias vezes sobre o motivo deles insistirem no parto normal e não realizar logo a cesárea.

Veja a reportagem abaixo:

Boletim de ocorrência

A família registrou um boletim de ocorrência na delegacia da Boa Vista, na área central do Recife. A avó materna do bebê quer que a polícia investigue quem seriam os responsáveis pela morte da criança.

O que diz o CISAM?

O CISAM emitiu uma nota de resposta sobre o caso do bebê e informou que vai investigar se houve falhas dos médicos, além de ter dito que prestou assistência à família.

Confira a nota do hospital na íntegra:

"O Centro Integrado Amaury de Medeiros da Universidade de Pernambuco (Cisam/UPE) esclarece que a paciente tem quadro de hipertensão, gravidez de alto risco. Chegou à unidade de saúde em trabalho de parto. Foram feitos os procedimentos padrões.

A paciente tinha histórico de parto normal e foi admitida na sala de parto do CISAM na manhã do dia 13 de outubro com hipótese diagnóstica de hipertensão gestacional em trabalho de parto, mas como foi diagnosticada parada secundária da dilatação e sofrimento agudo fetal, a equipe optou por uma cesárea de urgência.

O bebê nasceu com sofrimento moderado, evoluindo de maneira satisfatória. No entanto, a evolução não se desenvolveu mais nas primeiras horas de vida, o quadro do bebê piorou, sendo ele falecendo em 48 horas.

O corpo médico do CISAM levantou algumas hipóteses, além do sofrimento, pois esperava-se que o bebê sobrevivesse, pois existe a hipótese do bebê ter tido má formação cardíaca congênita ou outra doença para justificar a gravidade da sua saúde.

Todos os casos que ocorrem de morte fetal ou neo-natal precoce (nasce e morre) no Cisam são apresentadas e revidados pelo corpo clínico e gestão da unidade para avaliar se houve falhas no procedimento e condução, visando possíveis correções. Está reunião ocorrerá em breve. O Cisam prestou toda assistência e apoio necessário à família."

Mais Lidas