PARALISAçãO

Vai ter greve dos caminhoneiros de novo? Vai parar o Brasil inteiro? Quando vai ser? Por quê? Veja o que diz a categoria

Caminhoneiros voltaram a falar em greve, e já há previsão de data

Vai ter greve dos caminhoneiros de novo? Vai parar o Brasil inteiro? Quando vai ser? Por quê? Veja o que diz a categoria

Caminhoneiros podem iniciar greve e parar em 1º de novembro - Foto: Thomaz Silva/Agência Brasil

Com informações do SBT

Após declarar estado de greve, no último sábado (16), representantes da categoria de caminhoneiros garantiram que haverá paralisação, principalmente na região de Santos, caso não haja uma resposta do governo sobre os direitos dos caminhoneiros autônomos.

>> Caminhoneiros ameaçam paralisação caso governo Bolsonaro não atenda demandas

Previsão

De acordo com pronunciamento do presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam), Luciano Santos, a paralisação será iniciada no dia 1º de novembro, caso o governo não atenda aos pedidos do setor, em até 15 dias. "A resposta está na mão do governo", garantiu Luciano Santos durante assembleia no 2º Encontro Nacional dos Caminhoneiros Autônomos e Celetistas, no Rio de Janeiro.

>> 'Se não houver resposta concreta do governo, no dia 1º de novembro o Brasil todo ficará parado', diz o presidente de sindicato de caminhoneiros

Ainda de acordo com o diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística, Carlos Alberto Litti Dahmer, a greve significa reforçar para o governo Bolsonaro que o prazo de três anos que tiveram para solucionar os problemas da categoria autônoma não foi atendido. Ele ainda comentou sobre o conhecimento do governo atual e do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, das dificuldades da categoria.

>> Em carta, 20 governadores afirmam que aumento na gasolina é um problema nacional

Movimento grande

Em caso de paralisação, esse será o primeiro movimento dos sindicatos, cooperativas e federações de todo o país, desde a greve que marcou maio de 2018. 

Veja a lista de reivindicações dos caminhoneiros:

  • redução do preço do diesel 
  • revisão da política de preços da Petrobrás
  • aprovação do piso mínimo de frete
  • aposentadoria especial com 25 anos de contribuição ao INSS
  • criação de mais pontos de parada e descanso
  • aprovação do novo marco do transporte de cargas

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.