torcedores

Governo autoriza 50% de público nos estádios de futebol em Pernambuco; Veja qual primeiro jogo


Vale lembrar que nem todo mundo pode entrar nos estádios de futebol profissional em Pernambuco ainda. Saiba o que é necessário

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 11/11/2021 às 17:16
Alexandre Gondim/JC Imagem
FOTO: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Em entrevista coletiva, o Governo de Pernambuco confirmou a autorização de 50% do público nos estádios de futebol profissional.

A medida funciona a partir do dia 15 de novembro e serve como parte dos testes da Secretária Estadual de Saúde durante a retomada das atividades nesta pandemia da covid-19.

Veja capacidade permitida em cada estádio, de acordo com o governo e qual o primeiro jogo com a nova liberação:

  • Arena de Pernambuco: 23,5 mil torcedores (capacidade total de 46,1 mil).
  • Arruda: 30 mil torcedores (capacidade total de 60 mil).
  • Ilha do Retiro: 17,5 mil torcedores (capacidade total de 35 mil).
  • Aflitos: 9,8 mil torcedores (capacidade total de 19,6 mil).
  • Lacerdão (Central): 15 mil torcedores (capacidade total de 30 mil).
  • Cornélio de Barros (Salgueiro): 6 mil torcedores (capacidade total de 12 mil).
  • Ademir Cunha (Paulista): 6 mil torcedores (capacidade total de 12 mil).

A primeira partida liberada para receber 50% dos torcedores acontece justamente na segunda-feira (15). O Náutico recebe o Sampaio Corrêa pelo Campeonato Brasileiro da Série B, às 18h.

Quem pode ir aos jogos em Pernambuco?

Os torcedores que já tomaram as duas doses ou o imunizante de dose única (Jansen) podem acessar o estádio apresentando o Connect SUS ou Conecta Recife.

Quem ainda não completou o esquema vacinal deve apresentar na entrada do estádio um teste RT-PCR negativo feito com, no máximo, 48 horas antes da partida.

Vale também um exame antígeno feito até 24 horas antes, além do cartão de vacinação comprovando a primeira dose.

Ao todo, 90% da venda dos ingressos são destinados para pessoas com a segunda dose da vacina ou com uma dose, no caso de vacina de dose única, e os outros 10% vendidos a pessoas com a primeira dose e com exame RT-PCR.

Mais Lidas