Benefício

Quem tem Bolsa Família precisa se cadastrar no Auxílio Brasil?


O Auxílio Brasil é um novo programa social anunciado pelo Governo Federal para substituir o Bolsa Família e o Auxílio Emergencial

TV Jornal
TV Jornal
Publicado em 16/11/2021 às 9:04
Welligton Lima/JC Imagem
FOTO: Welligton Lima/JC Imagem
Leitura:

Com informações do SBT.

Já está em vigor, desde segunda-feira (8), o Auxílio Brasil. O programa social temporário substitui o Bolsa Família, que foi oficialmente revogado.

O calendário de novembro tem início na próxima quarta-feira, 17 de novembro. 

Quem tem Bolsa Família precisa se cadastrar no Auxílio Brasil?

Para aqueles que já recebiam o Bolsa Família, a transferência será automática. Os beneficiários podem saber mais sobre quando vão receber e qual o valor da parcela pelo novo aplicativo, 'Auxílio Brasil'.

Para o acesso e o saque, estão valendo o cartão do antigo programa e ainda as mesmas senhas.

>> Calendário do Auxílio Brasil de novembro de 2021 começa amanhã, 17 de novembro; veja quando recebe

Telefone para dúvidas

A fim de dar suporte nesse período de transição do Bolsa Família para o Auxílio Brasil, a Caixa Econômica Federal lançou um canal de informações por telefone através do número 111.

O beneficiário poderá consultar informações no benefício ligando para ele.

O horário de funcionamento dele vai de 8h às 21h, de segunda a sexta-feira. Aos sábados, o canal funciona entre 10h e 16h.

Pagamento e saque do Auxílio Brasil

O processo de pagamento e saque do Auxílio Brasil será o mesmo do Auxílio Emergencial e do Bolsa Família.

Da mesma forma de antes, os beneficiários poderão movimentar o dinheiro normalmente, através do Caixa Tem, para realizar pagamentos de boleto, recargas ou transferências via Pix.

Os saques podem ser feitos em casas lotéricas, terminais de autoatendimento, Caixa Aqui ou Agências da Caixa Econômica Federal.

>> Auxílio Brasil: sem pagamento para novos beneficiários, governo diz como pretende fazer seleção

Valores do Auxílio Brasil

Os lotes começarão a ser pagos entre 17 de novembro, sendo o primeiro, e 30 do mesmo mês, sendo o último. O montante será em torno de R$ 217,00.

A partir de dezembro, o governo espera que 17 milhões de famílias passem a receber o benefício com valor mínimo de R$ 400.

Isso depende da aprovação da PEC dos Precatórios, agora no Senado. Pelo menos, 49 parlamentares terão que votar a favor da proposta, em duas sessões.

"O governo vai pagar os valores menores, vai honrar todos os compromissos. A discussão é sobre os precatórios milionários", afirma o senador Carlos Viana (PSD), vice-líder do governo no Senado.

Nessa segunda-feira, em um evento em Portugal, o presidente do Senado negou que a aprovação da PEC também vai garantir dinheiro para o governo bancar emendas parlamentares.

"O espaço fiscal é para se inserir um programa social sustentável, com valor atualizado que possa permitir poder de compra mínimo à população brasileira, porque o feijão não está mais no mesmo preço", disse Rodrigo Pacheco.

Mais Lidas