decisão judicial

STJD devolve pontos do Brusque na Série B após caso de injúria racial contra ex-jogador do Santa Cruz


Com a decisão da Justiça Desportiva, o Brusque praticamente se livra do rebaixamento para a Terceira Divisão

TV Jornal
TV Jornal
Publicado em 18/11/2021 às 18:10
Reprodução/SporTV
FOTO: Reprodução/SporTV
Leitura:

Com informações do Lei da Campo, do UOL.

O Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) devolveu os três pontos que haviam sido retirados em 1ª instância devido ao caso de injúria racial contra o jogador Celsinho, do Londrina.

Com o recurso do Brusque aceito pela maioria dos auditores que estavam no julgamento, a tabela do Campeonato Brasileiro da Série B muda.

Restando dois jogos para o final, o Brusque fica com 44 pontos e três de vantagem para o Londrina, que é o primeiro time no Z-4.

> VÍDEO: PM da reserva ataca mulher e diz ser racista e não suportar negro; assista

Apesar da devolução dos pontos com a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, o Brusque tem que pagar a multa de R$ 60 mil.

Além disso, o dirigente Júlio Antônio Petermann, que cometeu as ofensas contra Celsinho, segue com a suspensão de 360 dias e multa de R$ 30 mil. A decisão do Pleno é definitiva. Ou seja, não cabe mais recurso.

Relembre o caso

No dia 28 de agosto, Brusque e Londrina se enfrentaram no Estádio Augusto Bauer, válido pela rodada 21 do Brasileirão Série B, e meia Celsinho afirmou que foi chamado de "macaco" por um membro da equipe de Santa Catarina.

O dirigente do Brusque, Júlio Antônio Petermann, foi identificado como autor da ofensa racista.

Na súmula, o árbitro da partida relatou que o atleta ouviu a frase "vai cortar esse cabelo, seu cachopa de abelha", no final do primeiro tempo.

> Motorista acusa patrão de racismo no Recife: ''Me chamou de macaco e negro safado''

Diante disso, tanto o Brusque e quanto o dirigente foram enquadrados no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por ato discriminatório relacionado ao preconceito.

Mais Lidas