IMUNIZAÇÃO

Pernambuco não exigirá prescrição médica para vacinar crianças contra covid-19


Decisão foi tomada em reunião de secretários municipais de saúde, ocorrida nesta terça-feira (28)

TV Jornal
TV Jornal
Publicado em 28/12/2021 às 15:57
Notícia
Miva Filho/SES-PE
André Longo, Secretário de Saúde de Pernambuco. - FOTO: Miva Filho/SES-PE
Leitura:

Pernambuco não vai exigir prescrição médica para a vacinação de crianças entre cinco e 11 anos contra a Covid-19. A decisão foi tomada durante a reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que congrega a Secretaria Estadual da Saúde (SES-PE) e secretários de saúde de todos os municípios do Estado, que ocorreu no final da manhã desta terça-feira (28).

A medida também teve o aval do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação e segue o posicionamento dos conselhos nacionais de Secretários de Saúde (Conass) e de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

A resolução CIB com a decisão de Pernambuco será publicada no Diario Oficial do Estado nos próximos dias. Quando estiver disponível, a vacina contra a Covid-19 será ofertada a todas as crianças de cinco 11 anos em todos os postos de vacinação organizados pelo Sistema Único de Saúde, desde que acompanhadas pelo pai, pela mãe ou responsáveis.

Será exigido apenas um documento de identificação oficial da criança para fins de registro do imunizante. A estimativa é de que o público entre cinco e 11 anos seja de 1.182.444 pessoas no Estado.

“É urgente vacinarmos nossas crianças e não podemos colocar nenhum empecilho para proteger esse público o mais rápido possível. Também precisamos deixar muito claro que a vacina para as crianças é segura, passou por todos os testes necessários, foi aprovada pelas principais agências regulatórias do mundo e, comprovadamente, salva vidas”, afirmou o secretário estadual de Saúde, André Longo.

A vacina contra a Covid-19 para o público infantil da Pfizer/BioNTech já foi analisada e autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso no Brasil no último dia 16 de dezembro. O imunizante para uso em crianças apresenta dosagem e composição diferentes do imunizante utilizado para maiores de 12 anos. A formulação pediátrica é de duas doses de 0,2 mL, com esquema de pelo menos 21 dias de intervalo entre as doses.

Polêmica

A decisão do governo pernambucano acontece depois do ministro da Saúde Marcelo Queiroga afirmar, em entrevista coletiva no último dia 23, que o governo federal irá autorizar a vacinação contra a covid-19 em crianças com idade entre 5 e 11 anos apenas mediante a apresentação de prescrição médica e termo de consentimento dos pais. "A nossa recomendação é que essa vacina não seja aplicada de forma compulsória. Ou seja, depende da vontade dos pais. E essa vacina estará vinculada a prescrição médica, e a recomendação obedece a todas as orientações da Anvisa", disse Queiroga.

Consulta pública 

O Ministério da Saúde criou uma consulta pública para saber a opinião da população sobre a vacinação dos menores de 12 anos contra a covid-19, que estará disponível em seu portal de internet até 2 de janeiro. Após esse prazo, a pasta terá prazo de três dias para decidir se fará ou não a inclusão das crianças ao Programa Nacional de Imunização (PNI) contra o novo coronavírus. A data limite de 5 de janeiro foi determinada pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que também exigiu explicações do governo sobre a possível exigência de prescrição médica para a imunização infantil.

Veja vídeo 

O secretário de saúde de Pernambuco, André Longo, publicou um vídeo em que comenta a decisão do estado de não exigir prescrição médica para vacinar crianças contra a covid. Assista na íntegra:

 

Comentários

Mais Lidas