benefício

Seguro-desemprego: Saiba quanto você irá receber após reajuste do salário mínimo


Com o reajuste do salário mínimo que passou de R$ 1.100 para R$ 1.212 em 2022, o valor do seguro-desemprego sofreu reajuste

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 13/01/2022 às 20:50
Notícia
Marcello Casal JrAgência Brasil
Tem direito ao seguro-desemprego o trabalhador que atuou em regime (Consolidação das Leis do Trabalho) e foi demitido sem justa causa - FOTO: Marcello Casal JrAgência Brasil
Leitura:

Com o reajuste do salário mínimo que passou de R$ 1.100 para R$ 1.212 em 2022, o valor do seguro-desemprego sofreu reajuste.

Agora, o valor máximo do benefício passou de R$ 1.911,84 para R$ 2.106,08, ou seja, uma diferença de R$ 194,24. O benefício máximo é pago aos trabalhadores com salário médio acima de R$ 3.097,26.

A atualização das faixas salariais é feita conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2021.

De acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência, os novos valores do seguro-desemprego são destinados os trabalhadores que tiveram parcelas emitidas a partir de 11 de janeiro.

O novo cálculo é aplicado para quem ainda vai dar entrada no seguro-desemprego e também para as próximas parcelas que forem emitidas para beneficiários que já estão recebendo o seguro.

É importante lembrar que o trabalhador demitido irá receber um valor que irá depender da média salarial dos últimos três meses anteriores à demissão. No entanto, o valor da parcela não pode ser menor ao salário mínimo vigente, que em 2022 é R$ 1.212. 

Tem direito ao seguro-desemprego o trabalhador que atuou em regime (Consolidação das Leis do Trabalho) e foi demitido sem justa causa.

Além disso, também pode requerer o benefício quem teve o contrato suspenso em virtude de participação em programa de qualificação profissional oferecido pelo empregador, pescador profissional durante período defeso e o trabalhador resgatado em condição semelhante à de escravo.

Veja os valores do seguro-desemprego para 2022

Faixas de salário médio      |       Valor da parcela

Até R$ 1.858,17                            |         Multiplica-se o salário médio 0,80 (80%)

De R$ 1.858,18 até R$ 3.097,26     |         O que exceder R$ 1.858,17 multiplica-se por 0,5 (50%) e                                                                      soma-se R$ 1.486,53

Acima de R$ 3.097,26                    |          Parcela será de R$ 2.106,08 invariavelmente 

 

Com informações do G1

O governo Jair Bolsonaro encomendou um estudo que propõe realizar mudanças na CLT e na Constituição, levando Brasil à nova reforma trabalhista; assista ao vídeo e compreenda: 

Comentários

Mais Lidas