Crime

Mulher morre após ser agredida com escavadeira manual pelo namorado; filho da vítima viu a mãe agonizando em casa

Segundo familiares, o suspeito começou a agredir a mulher por conta de ciúmes

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 02/07/2022 às 12:50
Notícia
Reprodução
A mulher, de 35 anos, teria sido vítima de feminicídio, motivado por ciúmes do namorado - FOTO: Reprodução
Leitura:

Uma mulher identificada por Valquiria Celina Ferreira Santos morreu no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense após ser agredida pelo companheiro com uma escavadeira manual.

Segundo informações do O Globo, o fato aconteceu na última quarta-feira (29). A mulher, de 35 anos, teria sido vítima de feminicídio, motivado por ciúmes do namorado. Eles se relacionavam há 8 meses.

De acordo com a família de Valquiria, o relacionamento dos dois era muito conturbado e marcado por ameaças de morte por parte do suspeito do crime, Júlio Cesar Perrone Gomes, de 32 anos, que foi detido na última quinta (30), por policiais civis da 56ª DP (Comendador Soares).

Na madrugada da última quinta (23), a mulher teria sido espancada até ficar desacordada pelo namorado, que usou até uma escavadeira manual para bater na vítima.

CIÚMES

A família diz que ele começou a agredir ela depois do casal voltar de um bar, por conta de ciúmes por parte de Júlio. O filho de 10 anos da vítima encontrou a mãe agonizando em casa.

“A relação era de muita briga, ele tinha muito ciúme, oprimia ela. Ela quase não saía de casa porque só tinha que sair com ele. Ela só podia ficar dentro de casa, não podia nem ir na minha casa. Uma vez, ele ia agredir ela perto de mim e eu não deixei. Ele já quebrou minha janela com uma enxadada e botou fogo no meu carro”, contou Mauro da Silva Santos, de 60 anos, pai da Valquiria.

Segundo Mauro, no dia do crime, o neto dele, de 10 anos, viu a mãe toda ensanguentada, agonizando e sem roupa em casa.

“Eu mesmo botei uma roupa nela e socorri. Levei ela até o Hospital da Posse. E ele sumiu, ninguém sabia para onde ele foi. Uma pessoa falou que ele fez isso tudo de modo pensado, porque ia roubar o dinheiro dela. Ela chegou a ter traumatismo craniano, teve três paradas cardíacas, conseguiu se reabilitar, mas depois não deu. Eu sei que é triste, eu vou chorar muito no sepultamento. Mas estou falando porque eu quero a justiça”, disse Mauro.

VÍTIMA CHEGOU EM ESTADO GRAVE NO HOSPITAL

De acordo com o hospital, a vítima chegou em estado grave e passou por um exame de tomografia, que identificou hemorragia e fraturas cranianas.

Porém, a paciente apresentou uma piora e faleceu, no período da tarde. Na sequência, o corpo foi encaminhado para o IML para perícia.

O corpo de Valquíria, que deixa um filho de 10 e outro de 8 anos, foi sepultado nesta quinta, no Cemitério Municipal de Nova Iguaçu, no Centro da cidade.

Comentários

Mais Lidas