caso miguel

Mirtes, mãe de Miguel, afirma ser vítima de ofensas em redes sociais após solicitar indenização


A família de Miguel solicitou na Justiça o valor de R$ 987 mil a Sari Corte Real pela morte do menino

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 25/08/2020 às 19:53
Alex Oliveira/JC Imagem
FOTO: Alex Oliveira/JC Imagem
Leitura:

Depois de quase três meses da morte de Miguel Otávio Santana da Silva, que morreu após cair do nono andar de um prédio de luxo, na área central do Recife, a mãe do menino, Mirtes Renata, afirma que vem sofrendo ofensas em redes sociais, devido ao valor da indenização ajuizada na 3ª Vara Cível da Capital a Sarí Corte Real, que foi denunciada por abandono de incapaz com resultado morte.

>>Câmera de segurança mostra criança que caiu de prédio dentro de elevador momentos antes de morrer

>>Polêmica, tumulto e espera da mãe de Miguel: tudo o que aconteceu durante depoimento de Sarí no Recife

Dor contínua

Durante entrevista à TV Jornal, Mirtes afirmou que nenhum dinheiro repararia a dor que ela sente pela perda do filho."Esse dinheiro que ainda vai pra mão do juiz, ainda vai ser julgado, é algo que não vai reparar o que eu sinto. Não vai reparar a dor que sinto pela perda do meu filho", afirmou.

>>>"Não vai reparar a dor que sinto pela perda do meu filho", diz mãe de Miguel sobre possível indenização

Lembranças de Miguel e desemprego

O quarto de Miguel permanece intacto. A lembrança dele está por todas as partes da casa onde viveu com Mirtes e Dona Marta. Após a morte do menino, a dor e a saudade ainda machucam o coração da mãe e da avó.

Mirtes afirmou que desde o mês passado nem ela nem a mãe tem mais vínculo com a Prefeitura de Tamandaré, onde constavam como funcionárias. As duas ainda não conseguiram voltar a trabalhar e estão sobrevivendo de doações de amigos e instituições ligadas aos direitos humanos.

Ação trabalhista

A mãe e a avó de Miguel estão movendo uma ação trabalhista que corre em segredo de justiça contra o prefeito Sérgio Hacker. Mirtes preferiu não se aprofundar no assunto, mas revelou que não recebeu o que devia dos ex-patrões.

Julgamento

Enquanto Sarí Corte Real aguarda o julgamento (que ainda não tem data marcada) em liberdade, a defesa da primeira-dama de Tamandaré recebeu o prazo de 10 dias para responder às acusações após o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) cumprir o mandado de citação enviado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

De acordo com o TJPE, o mandado de citação foi cumprido em 17 de agosto e o juiz José Renato Bizerra deve analisar a defesa de Sari, podendo decretar sua absolvição ou iniciar a fase de instrução do processo. Se condenada, Sarí Corte Real pode pegar 4 a 12 anos de prisão.

Relembre o caso

O menino Miguel Otávio Santana da Silva era filho de Mirtes Renata Santana de Souza, empregada doméstica de Sarí Corte Real, esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker (PSB). A tragédia aconteceu quando Sarí mandou Mirtes passear o cachorro da família e se responsabilizou por olhar o garoto. Dias depois da tragédia, Mirtes concedeu entrevista à TV Jornal e comentou que ''faltou paciência'' da ex-patroa para tirar Miguel do elevador.