saúde

Coronavírus: ''A população é que precisa se conscientizar'', diz secretário de saúde sobre aglomerações


André Longo alertou que a existe a possibilidade de ''dar um passo atrás'' na reabertura das atividades

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 08/09/2020 às 19:50
Bobby Fabisak/JC Imagem
FOTO: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

As praias de Pernambuco ficaram lotadas durante o feriadão, especialmente o Pina, Boa Viagem e Porto de Galinhas. As pessoas sem máscara, aglomerações e sem se preocupar com qualquer tipo de higienização das mãos para proteger do coronavírus. Nesta terça-feira (08), o secretário estadual de saúde, André Longo, se pronunciou sobre a possibilidade em restringir as atividades, caso os números da pandemia do novo coronavírus piorem.

‘’A gente precisa reconhecer que o comportamento da população é decisivo para isso. Ninguém é onipresente e vai ter um fiscal para cada banhista ou para cada pessoa que vai à praia. O uso da máscara tem sido descumprida. Isso é grave. A gente tentou fazer um trabalho. Alguns comerciantes foram punidos e até a retirada do direito de comercializar, mas a população é que precisa se conscientizar, para voltar a conviver, precisa dosar o sentimento hedonista, de busca do prazer, com responsabilidade’’, afirmou o secretário.

Desrespeito ao protocolo contra o coronavírus

Os registros em praias e festas mostraram várias irregularidades contra a propagação do novo coronavírus. Como a transmissão é através da respiração ou do contato, o secretário estadual de saúde foi enfático em relação ao descumprimento do protocolo de segurança.

‘’Sem essa conscientização, nós podemos ter uma volta de indicadores negativos e vão fazer com que as autoridades tomem medidas de dar passos para trás. Não é só um problema com as praias. Temos visto bares que tem descumprido algum protocolos em relação a aglomeração. Isso tudo pesa de forma negativa’’, completou André Longo.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.