COVID-19

Vésperas de Natal e Ano Novo: bares e restaurantes funcionarão apenas até as 20h

Medida foi divulgada nesta quinta-feira (10), como forma de contenção ao avanço do novo coronavírus

Vésperas de Natal e Ano Novo: bares e restaurantes funcionarão apenas até as 20h

Coletiva online do Governo de Pernambuco - Foto: Reprodução/TV Jornal

Durante coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (10), o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach divulgou que, após diálogo com o setor de bares e restaurantes, ficou estabelecido que os serviços de alimentação só funcionarão até as 20h nas vésperas de Natal e Ano Novo. O intuito é fazer com que as pessoas passem as festividades nas suas residências apenas com o núcleo familiar.

>>>Covid-19: Festas de Natal e Revéillon estão proibidas em todo o estado de Pernambuco

O secretário também informou que o governo estadual está providenciando uma cartilha para esclarecer todas as dúvidas a respeito das novas determinações anunciadas na última segunda-feira (7), quando o governo estadual proibiu shows, festas e similares, o que inclui apresentações ao vivo em bares e restaurantes, com ou sem cobrança de ingresso, independente do número de participantes. A exceção é para casamentos, formaturas e eventos sociais similares. A previsão é que a cartilha seja publicada nesta sexta-feira (11).

Assista à coletiva completa

Comércio varejista

Também foi anunciado que o horário permitido para o funcionamento do comércio varejista do estado será estendido para de 9h às 0h, a partir desta sexta-feira (11) até o dia 23 de dezembro.

"Aproveitamos também para informar que estamos ampliando o horário de funcionamento do comercio varejista tanto de rua como centros comerciais como shoppings centers, para que possam funcionar no horário das 09h a 00h, a partir de amanhã até o dia 23 de dezembro de forma a diluir o número de pessoas no horário ampliado tentando evitar aglomerações", disse Bruno Schwambach.

Novos leitos

Até o final de dezembro, o Governo de Pernambuco, por meio da SES-PE, colocará em operação mais 199 leitos em nove unidades de saúde para pacientes suspeitos ou confirmados para a Covid-19. O plano, que beneficiará todas as quatro macrorregionais de saúde do Estado, está sendo colocado em prática após três semanas seguidas de aumento nos casos de síndrome respiratória aguda grave (Srag) e também das solicitações por leitos na Central de Regulação de Pernambuco.

Os novos leitos serão abertos nos hospitais Agamenon Magalhães, Português, Santo Amaro, Maria Vitória e Cesac Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR); Hospital de Campanha Mestre Vitalino, em Caruaru; Hospital Eduardo Campos, em Serra Talhada; Hospital Santa Maria, em Araripina; e na UPAE de Petrolina. Do total de vagas, 119 são na RMR, sendo 46 de UTI. As outras são no Agreste (10 de UTI) e Sertão (40 de UTI e 30 de enfermaria).

“Somando os leitos que estamos abrindo a partir de hoje aos que reconvertemos e anunciamos ao longo de novembro, serão 379 vagas para o enfrentamento da Covid-19”, frisou o secretário de Saúde. Na última segunda-feira (07.12), já havia sido anunciada a abertura de 20 leitos de enfermaria, além de outros 30 (10 de UTI e 20 de enfermaria) para os próximos dias no Hospital de Referência à Covid-19 – unidade Olinda (Maternidade Brites de Albuquerque). As outras vagas foram disponibilizadas nos hospitais Maria Vitória, Evangélico e no Antigo Alfa, todos no Recife.

Durante o anúncio, o secretário fez um apelo à população para evitar os adoecimentos, chamando a atenção do público jovem para os riscos da exposição. “É fato que a forma mais grave da doença predomina nos grupos de risco, só que os mais jovens não estão imunes a ela e nem ao risco de complicações e até mesmo de morte pela Covid-19. Além disso, se abrem mão dos cuidados, podem se transformar em agentes transmissores para pessoas próximas mais vulneráveis. Eu sei que isso se torna uma grande responsabilidade para a juventude, mas é nosso dever alertar para esta realidade. Ainda não vencemos a pandemia e cada pessoa pode fazer a sua parte. Isso diz respeito à própria vida e também às vidas de familiares e de todas as pessoas importantes para nós”, pontuou.

Festividades

André Longo chamou a atenção do público também para os encontros que normalmente ocorrem neste período de fim de ano. “Este período do ano pede uma atenção a mais. Sempre foi época de confraternizações, encontros familiares de Natal, festas de réveillon. Proibir shows e festas não vai resolver por completo o problema. Nós sabemos disso e precisamos contar com a consciência e a atitude de todos. De acordo com os médicos da linha de frente, os encontros pessoais, que reúnem amigos ou parentes menos próximos, têm sido causas frequentes das atuais contaminações”, reiterou.

O secretário afirmou ainda que não cabe aos governos intervir em decisões de âmbito familiar, mas se trata de uma questão de proteção à vida. Para ele, é momento de um esforço a mais para que vidas não sejam sacrificadas. “Nós vamos vencer essa guerra pela vida, mas poderemos vencê-la mais rápido e com menos tristeza se todos fizerem a sua parte. A pandemia não acabou e, no momento, nossa principal arma é o cuidado”, finalizou.

Plano de convivência

Na última segunda-feira (07.12), o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus decidiu proibir a realização de festas e shows em todo o Estado para tentar reduzir o índice de contaminação. Na coletiva desta quinta, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, anunciou que o Governo de Pernambuco está preparando uma cartilha para esclarecer dúvidas que surgiram em relação à interpretação do decreto, que será divulgada até amanhã no site www.pecontracoronavirus.pe.gov.br.

O secretário disse ainda que, conforme acertado com o setor, nas vésperas de Natal e Ano novo – portanto, nos dias 24 e 31 de dezembro – haverá restrição do horário de funcionamento dos serviços de alimentação até as 20h. “Dessa forma, as pessoas podem retornar às suas residências e fazer a passagem da noite de Natal e Ano novo num ambiente familiar de núcleo mais próximo”, justificou.

Ainda segundo Schwambach, o Governo de Pernambuco decidiu ampliar o horário de funcionamento do comércio varejista, tanto de rua como de centros comerciais, para 9h a meia noite, a partir desta sexta (11.12) até o dia 23 de dezembro. “Esperamos diluir o fluxo de pessoas num horário ampliado para evitar aglomerações”, explicou o secretário.

Novo decreto

Com aumento nos números da covid-19 no Estado, o governo de Pernambuco realizou um pronunciamento durante a tarde dessa segunda-feira (7), determinando que as festas de Natal e Revéillon estão canceladas em todo o estado. A medida foi tomada como forma de contenção ao avanço do vírus e vale tanto para eventos gratuitos quanto para pagos, independentemente da quantidade de pessoas. 

>>>Pernambuco registra aumento de 27% em casos de covid-19 nos últimos 15 dias

>>>13 capitais do Brasil têm tendência de avanço da covid-19, alerta boletim da Fiocruz

Na ocasião, participaram o secretário de Saúde do Estado, André Longo, e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach. A transmissão foi feita ao vivo, através do canal oficial do governo no YouTube(Assista abaixo)

"O governo de Pernambuco está publicando amanhã um novo decreto válido para todo o território com proibição de shows, festas e similares, com ou sem cobrança de ingresso, independente do número de participantes, com exceção de casamentos, formaturas e eventos sociais similares, desde que cumpridos os protocolos. Além disso, com base no atual momento epidemiológico, estamos proibindo a realização de shows e festa de Natal e revéillon, incluindo os realizados em espaços públicos, condomínios, clubes, hotéis e estabelecimentos assim, com ou sem cobrança de ingresso. Este decreto entra em vigor amanhã. A fiscalização, a partir de agora, será ainda mais intensa", declarou o secretário de Saúde do Estado, André Longo. 

Alta nos indicadores

Na ocasião, o secretário abordou também a questão da alta nos números da covid-19. "Encerramos a semana epidemiológica 49, no último sábado, com alta nos indicadores de solicitações de UTI, de casos de síndrome respiratória aguda grave, além de aumento nas taxas de ocupação de leitos. Dessa forma, esta é a terceira semana de alta nos indicadores. Saímos de um quadro de oscilações para uma tendência de crescimento de casos", explicou André Longo. 

Números da pandemia em Pernambuco

Nesta quinta-feira, Pernambuco chegou a dez dias seguidos com média móvel de casos do novo coronavírus acima de mil. Com 1.588 novos casos confirmados pela Secretaria Estadual de Saúdes (SES-PE) nas últimas 24 horas, o Estado atingiu a média de 1.154, na qual tendência de alta atingiu 62%. A média móvel é considerada o índice ideal para medir o avanço da pandemia em um local. Ela contabiliza a média dos últimos sete dias (contando com hoje) e compara com 14 dias atrás. Variações acima de 15%, seja para mais ou menos, indicam tendência de alta ou queda respectivamente. Já abaixo disso, indica estabilidade.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.