tristeza

Motorista de aplicativo, baleado em assalto, morre no HR; família acusa negligência médica

''É uma negligência muito forte, e meu primo veio a óbito'', disse um parente da vítima em entrevista à TV Jornal

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 19/11/2021 às 19:38
Cortesia
FOTO: Cortesia
Leitura:

A comoção da família do motorista de aplicativo que morreu depois de ser baleado por assaltantes. A vítima, identificada como Tiago era de Vitória de Santo Antão e teria sido atraída por dupla que se passou por passageiros. Ele morreu, no Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife. O enterro aconteceu nesta sexta-feira (19), em Moreno, na Zona da Mata de Pernambuco. Acompanhe outras informações no programa O Povo na TV.

''Existiu uma falta de empatia do hospital. É um momento muito difícil e o hospital disse que não tinha leito. É uma negligência muito forte, e meu primo veio a óbito. Ele precisa de um leito de UTI, urgentemente, por causa de uma cirurgia que ele tinha feito e isso não aconteceu'', afirmou Luana, prima da vítima.

O que diz o HR?

A assessoria de imprensa do Hospital da Restauração informou que foi feito o procedimento cirúrgico, com todo os meios necessários para o paciente, mas ele não resistiu. A versão apontada pelo HR difere do que os parentes apontam.

''Na segunda-feira, o hospital disse que a família tinha que ir atrás do Ministério Público, mas o médico nem tinha relatado no laudo que precisava do leito de UTI. A assistente social disse que ele estava bem, mas ele necessitava de uma UTI'', concluiu a prima do motorista de aplicativo.

+VÍDEOS