MAUS TRATOS

Pastor acusado de maus tratos em abrigo no Cabo nega situação

TV Jornal

-Reprodução/TV Jornal

Após denúncias de pessoas abrigadas em uma casa de acolhimento, um pastor evangélico que está sendo investigado por maus tratos na área rural do Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, nega o acontecido. De acordo com informações, o religioso estaria praticando atos de ‘tortura’ contra algumas das abrigadas, a exemplo de colocá-las dentro de um quarto com cobras.

Segundo o pastor, essas denúncias não tem fundamentos. “Nenhuma [mulher] foi mau tratada, nenhuma passou dias de fome. Nenhuma foi abusada sexualmente, como estão relatando. Me taxando como um monstro”, relatou o pastor acusado, Edy de Jesus.

Confira:

Relembre a denúncia

 

A casa de acolhimento

O espaço funciona no bairro de Engenho Novo, na zona rural do Cabo, onde recebe mulheres e adolescentes dependentes de drogas. Quando os fiscais chegaram à casa para apurar as denúncias, constataram que o espaço não tinha a documentação necessária para funcionar. O administrador da casa é o pastor evangélico, que foi levado para a delegacia. Segundo o presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Cabo, a denúncia de maus tratos partiu da mãe de uma adolescente acolhida pela casa.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.