ELEIçõES

CPI é instaurada para investigar fraudes na eleição do Conselho Tutelar de Olinda

Candidatos e apoiadores foram até a sede do Ministério Público de Pernambuco para protestar

CPI é instaurada para investigar fraudes na eleição do Conselho Tutelar de Olinda

Primeira reunião de CPI deve acontecer na quinta-feira (10).  - Foto: Reprodução Ronaldo Alves/TV Jornal

A Câmara Municipal de Olinda instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as irregularidades do processo. De acordo com o presidente da câmara, Jorge Federal, houve uma série de problemas na eleição. Nesta quarta-feira (09), dos 17 vereadores do município, 12 assinaram o pedido. Os candidatos e apoiadores ao Conselho Tutelar foram até a sede do Ministério Público de Pernambuco e protestaram a favor da medida.

Investigação

A investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) deve durar 60 dias. Caso alguma conduta de servidor público ou privado envolvido no processo de eleição seja considerada criminosa, os responsáveis irão responder pelos atos.

Exclusão

O ministério público solicitou a exclusão de Guilherme Caio Félix Paixão, que estava candidato ao conselho, pois ele foi condenado criminalmente por assalto em 2014.

Reunião

Primeira reunião de CPI deve acontecer na quinta-feira (10). 

Confusão

Em um vídeo enviado para a produção da TV Jornal, as eleições para a escolha de Conselheiro Tutelar no último domingo (06), na Escola Nossa Senhora do Ó, na cidade de Ipojuca, ocasionou uma confusão. Segundo as informações, o problema começou por causa da demora em abrir as urnas no local e com isso, a população que estava presente se revoltou e começou a cobrar agilidade no resultado das votações. Em um outro vídeo, é possível perceber várias pessoas querendo entrar para participar da contagem, mas foram impedidas por guardas municipais.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.