NOTA OFICIAL

Após protestos, Governo de Pernambuco se pronuncia sobre campanha salarial dos enfermeiros

Durante uma das manifestações, houve confronto entre o Batalhão de Coque e alguns enfermeiros

Após protestos, Governo de Pernambuco se pronuncia sobre campanha salarial dos enfermeiros

O atos foram organizados pelo Sindicato Profissional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem de Pernambuco (SATENPE-PE) - Foto: Reprodução/TV Jornal

O Governo de Pernambuco emitiu uma nota, nesta quinta-feira (13), sobre a campanha salarial feita pelos auxiliares e técnicos de enfermagem do Estado, que vem ocasionando vários protestos na Avenida Agamenon Magalhães, na Área Central do Recife, onde armaram barracas e ocorreu uma confusão entre os enfermeiros e policiais do Batalhão de Choque.

>>>Auxiliares e Técnicos em Enfermagem da rede estadual fazem paralisação<<<

>>>Após protesto, presidente do sindicato dos técnicos e auxiliares em enfermagem vai responder por desobediência<<<

Em trecho da nota, o governo fiz que ''os servidores já recebem insalubridade e adicional noturno incorporados ao vencimento base desde 2006'' e ''nenhum profissional recebe abaixo do mínimo (salário), uma vez que todos possuem gratificações que, somadas ao vencimento base, totalizam valores superiores''.

Ainda de acordo com a nota oficial, as secretarias de Administração (SAD) e de Saúde (SES) afirmam que o ''diálogo continua aberto'' com a categoria nas reuniões para ''revisão dos planos de cargos e tabelas salariais''.

Confira a nota na íntegra

O Governo do Estado, por meio das secretarias de Administração (SAD) e de Saúde (SES), informa que as reivindicações dos auxiliares e técnicos em saúde têm sido intensamente debatidas junto aos representantes da categoria, visando construir alternativas possíveis na atual situação financeira do Estado. O Governo do Estado continua aberto ao diálogo para construir alternativas para negociações futuras, junto a todas as legítimas representações dos servidores estaduais.

Sobre as principais reivindicações da categoria, a SES e a SAD frisam que os servidores já recebem insalubridade e adicional noturno incorporados ao vencimento base desde 2006, a pedido da própria categoria. Sobre os vencimentos, informa que nenhum profissional recebe abaixo do mínimo, uma vez que todos possuem gratificações que, somadas ao vencimento base, totalizam valores superiores. Ainda assim, a revisão dos planos de cargos e as tabelas salariais estão sendo objeto de discussão das reuniões com a categoria.

Importante destacar também que, com a Avaliação de Desempenho para o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), que foi iniciada para todos os servidores da Saúde no Governo Paulo Câmara, resultou em um aumento no salário base de 5% no primeiro ano e de 2,5% nos anos subsequentes, para os servidores que foram bem avaliados no processo.

O Governo do Estado realizou nos últimos dias 3 reuniões com o Sindicato Profissional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem (Satenpe), na tentativa de manter o diálogo respeitoso e transparente. No entanto, a proposta de esclarecer os pontos da pauta e construir soluções a serem deliberadas foi rejeitada pela direção do referido sindicato, demonstrando a sua inteira falta de disposição para o diálogo.

Diante da intransigência da diretoria do Satenpe, o Governo do Estado decidiu recorrer à Justiça e ingressou com ação ordinária para preservar o franco acesso à saúde e evitar mais transtornos à população, inclusive quanto ao recorrente cerceamento do seu direito de ir e vir, causados por aquele sindicato. O Poder Judiciário deferiu o pedido de tutela antecipada de urgência, a imediata suspensão da paralisação em curso e o retorno dos servidores às suas atividades, inclusive com impedimento de qualquer atividade de bloqueio das vias públicas.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.