DENúNCIA

''Era uma escravidão moderna'', diz procuradora do MPT sobre trabalhadores resgatados em Olinda

A ação foi feita pelo Ministério Público do Trabalho

''Era uma escravidão moderna'', diz procuradora do MPT sobre trabalhadores resgatados em Olinda

O Ministério Público do Trabalho afirmou ser condições semelhantes à escravidão - Foto: Cortesia

Com informações de Dyandhra Monteiro

O Ministério Público do Trabalho (MPT) informou que fez o resgate de 10 homens que trabalhavam em condições semelhantes à escravidão em obras de pavimentação da Prefeitura de Olinda. De acordo com o ministério, eles estavam em uma casa, vivendo em situação precária e sem equipamento de proteção. A ação aconteceu entre os dias 31 de janeiro e 11 de fevereiro.

Ainda de acordo com o Ministério Público, o grupo dormia em papelão e não havia lugar adequado para comer. O MPT repassou que os trabalhadores saíram de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco, e foram prestar serviços nas obras de calçamentos e na construção de meio-fio no bairro do Varadouro, em Olinda.

''Era uma situação bastante clara de escravidão moderna. O que é escravidão moderna? É você ser tratado como objeto, como um número e não como uma pessoa'', afirmou Débora Tito, procuradora do trabalho.

 

Nota da Prefeitura de Olinda

"A Procuradoria Geral da Prefeitura de Olinda informa que não foi notificada sobre o assunto e que os trabalhadores não são funcionários da gestão municipal. A empresa contratada já firmou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) perante o Ministério Público do Trabalho onde regularizou imediatamente a situação dos trabalhadores terceirizados.

Diante da notícia, a Procuradoria da Prefeitura irá adotar medidas para apuração da ocorrência e das eventuais penalidades administrativas daí decorrentes. O órgão acrescenta que a Secretaria de Obras do município também não foi notificada."

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.