Ibura

Mãe acredita que filho morto a pedradas no Recife foi vítima de homofobia


Cristiano Gomes da Silva, de 38 anos, foi agredido por três homens ao sair de um bar

Site Da TV Jornal
Site Da TV Jornal
Publicado em 17/09/2015 às 15:37
Leitura:

-Reprodução/TV Jornal
A mãe do operador de máquinas Cristiano Gomes da Silva, de 38 anos, morto no Ibura, na Zona Sul do Recife, acredita que o filho foi vítima de homofobia. Ele foi agredido a pedradas e pauladas por três homens após sair de um bar. Cristiano ainda foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu, na última quarta-feira (10), de traumatismo craniano.

De acordo com a dona de casa Cleide Gomes, o filho tinha muitos amigos no bairro e nunca se envolveu em brigas. "Era um filho amoroso, trabalhador e homossexual assumido. Mas isso não justifica os indivíduos matarem ele. Era um direito dele", fala emocionada.

Ela espera que as câmeras de segurança do bar possam ajudar a polícia a identificar os três homens suspeitos do crime. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

+VÍDEOS