Protesto

Após deslizamento com mortos, moradores de Caetés fazem protesto

Sem água e sem energia desde o deslizamento, os moradores de Caetés reclamam que estão pagando as contas sem retorno de um bom serviço oferecido

ISABEL CRISTINA ARAUJO DO NASCIMENTO
ISABEL CRISTINA ARAUJO DO NASCIMENTO
Publicado em 30/07/2019 às 17:15
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Desde o deslizamento de uma barreira na terça-feira (22), que deixou cinco pessoas mortas no bairro de Caetés, em Abreu e Lima, no Grande Recife, os moradores da região estão sem os serviços de luz e de água e ainda temendo um novo deslizamento. Diante da situação, eles se uniram em um protesto na tarde dessa segunda-feira (29).

Protesto

Por volta das 16h, os moradores bloquearam algumas ruas de Caetés III, próximo ao acesso da Rua Córrego da Areia. Pneus, colchões, e pedaços de madeira foram queimados. Vários carros tiveram que buscar rotas alternativas, e nos ônibus passageiros tiveram que esperar o fim do protesto, que só terminou depois das 17h, quando os manifestantes entraram em um acordo com a Polícia para liberar as vias. O Corpo de Bombeiros foi acionado para apagar as chamas dos bloqueios.

>>>Deslizamento de barreira em Abreu e Lima deixa mortos<<<

>>> Corpo de mulher grávida desaparecida após deslizamento é encontrado<<<

>>>Mortos em deslizamento em Abreu e Lima são sepultados<<<

De acordo com os moradores, mais de 20 protocolos já foram abertos na Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). Além disso, eles dizem que, quando ligam para relatar o problema, a resposta sempre é vaga e os horários marcados nunca são cumpridos. A falta de água e de luz já dura oito dias seguidos, resultando na perda de alimentos e eletrodomésticos.

A população reclama da total falta de assistência da Prefeitura de Abreu e Lima e da Defesa Civil, e contam que o prefeito até apareceu no local, porém não saiu do carro.

Esclarecimento

Em nota, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) informa que equipes estão no local para realizar a substituição de dois postes, um transformador e 600 metros de fiação. Após a conclusão do serviço, o fornecimento de energia na região será normalizado.

Relembre a tragédia

As fortes chuvas que atingiram a Região Metropolitana do Recife (RMR) entre os dias 23 e 24 provocaram mortes e destruição. Ao todo, 12 pessoas morreram após queda de uma árvore e deslizamentos de barreiras. Em Caetés, Abreu e Lima, cinco pessoas morreram.

Em um dos imóveis atingidos em Abreu e Lima, estava Adalmir Ferreira dos Santos, de 53 anos, que teve o corpo encontrado no início da manhã desta quarta-feira (24). Na outra casa morava uma família. O pai, Silvano da Silva, 49, e um dos filhos, Luiz Henrique da Silva, 15, foram encontrados sem vida. A filha, identificada como Mariana da Silva, 19, chegou a ser resgatada, mas morreu a caminho do hospital.

A mãe, Hariana Xavier, 39, foi encontrada com vida e encaminhada ao Hospital Miguel Arraes. Maria Eduarda da Silva, 21 anos, filha mais velha do casal e grávida de oito meses, foi encontrada morta no fim da noite desta quarta-feira (24). Segundo o marido, ela havia ido passar a semana na casa dos pais.

+VÍDEOS