Investigação

Veja as imagens utilizadas na investigação da morte de comissário de polícia aposentado no Recife

O crime aconteceu no dia 15 de fevereiro no bairro do Engenho do Meio, na Zona Oeste do Recife

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 05/03/2020 às 16:37
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

A Polícia Civil já abriu um inquérito para investigar as circunstâncias e a motivação do caso do comissário aposentado da polícia Diógenes Candido Nunes, de 56 anos, morto a tiros pelo vizinho no bairro do Engenho do Meio, Zona Oeste do Recife. O vídeo analisado pela polícia mostra o momento em que a vítima e um homem de boné discutem dentro do elevador do condomínio onde o policial morava.

De acordo com informações apuradas pela produção do Por Dentro Com Cardinot, o delegado que investiga o caso só vai se pronunciar quando concluir o inquérito.

Foragido

Após cometer o assassinato, o suspeito fugiu do local. A arma usada no crime não foi encontrada pela polícia. O delegado conta que ele tinha o registro da arma, um revólver calibre 38, que foi comprado em 1986. Mas o registro estava vencido desde o dia 27 de outubro de 2012.

>>Morte de comissário pode ter sido motivada por divergência política

>>Comissário de polícia aposentado é assassinado no Engenho do Meio

Relembre o crime

O crime aconteceu no dia 15 de fevereiro dentro de um prédio residencial da Rua Antônio Curado. Segundo o delegado, moradores do condomínio e familiares estavam reunidos curtindo a passagem de um bloco carnavalesco na rua quando a tragédia aconteceu. De repente, houve um desentendimento entre Diógenes e o suspeito, o ex-síndico do prédio.

Segundo o delegado, minutos antes da briga, o autor dos disparos foi em casa e pegou um revólver. Ainda segundo a polícia, no momento da confusão, Diógenes estava desarmado. E provavelmente estaria tentando subir para o apartamento pra pegar uma arma, mas acabou sendo morto na porta do elevador.

+VÍDEOS