Denúncia

Motorista de ônibus com sintomas de coronavírus espera mais de 44 horas para ser transferido no Recife


A denúncia foi enviada para a produção do Por Dentro com Cardinot

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 28/04/2020 às 17:30
Fábio Costa/TV Jornal
FOTO: Fábio Costa/TV Jornal
Leitura:

Um motorista de ônibus afirmou que apresentou sintomas do novo coronavírus e esperou mais de 44 horas para ser transferido para uma unidade de referência no tratamento da Covid-19 em Pernambuco. O paciente conta que deu entrada na policlínica Agamenon Magalhães, que fica localizada em Afogados, na manhã do último sábado (25). A denúncia foi exibida nesta terça-feira (28), no Por Dentro Com Cardinot.

Através de vídeos, a esposa do homem mostrou a situação do companheiro. Apesar das condições, a família informou que até pensou em internar o motorista em um hospital particular por conta da demora na transferência.

Transferido

Após mais de 44 horas de espera, o motorista conseguiu uma transferência para um hospital de campanha, que fica localizado na Rua da Aurora, na tarde da segunda-feira (28).

>>''A gente vai passar por essa turbulência'', afirma secretário de Saúde do Recife sobre o coronavírus

Nota de resposta

A Secretaria de Saúde informa que, a princípio, não havia indicação de uso de respirador, já que não se tratava de síndrome respiratória aguda grave. Mesmo assim, o usuário ficou isolado em área para pacientes com suspeita de covid-19. Sobre a transferência, a secretaria reforça que a Prefeitura do Recife vem abrindo, gradativamente, novos leitos, e todos os pacientes com suspeita ou confirmação de covid-19 entram na lista da central de regulação de leitos do Estado.

Coronavírus em Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) atualizou, nesta terça-feira (28), o número de casos do novo coronavírus no Estado. O boletim registrou 58 mortes e 366 novos casos confirmados. Ao todo, são 5.725 pessoas infectadas e 508 mortes.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

+VÍDEOS