CRIME

Ex-sargento acusado de matar jovem de 14 anos tem julgamento adiado

TV Jornal | Com informações do JC Online

-Aline Matheus/TV Jornal

A audiência que julgaria o sargento reformado da Polícia Militar Luiz Fernando Borges, de 32 anos, nesta quarta-feira (10), foi cancelada. O ex-PM é acusado de assassinar Mário Andrade de Lima, de 14 anos, com um tiro, em 2016. Luiz Fernando fez uma cirurgia de hérnia e apresentou um atestado que o impede de participar do julgamento, nos próximos 30 dias.

Essa não é a primeira vez que desmarcam o juri. A última vez foi no dia 24 de setembro, coincidentemente o dia em que Mário faria 17 anos. A diarista Joelma Andrade de Lima, de 36 anos, mãe do jovem assassinado, desabafou sobre sua frustração. “Foi horrível desmarcarem. Passei mal. Tive uma sensação de raiva, de impunidade, de que a justiça não é perfeita. Mas respirei fundo e levantei a cabeça”, explica. Na ocasião, Luiz Fernando alegou não ter sido intimado.

Devido ao cancelamento do júri, parentes e amigos de Mário Andrade ocupam as escadas do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha Joana Bezerra, centro do Recife, e protestam. Eles ergueram faixas pedindo justiça pela morte do jovem e que Luiz seja punido. Em uma das placas está a frase: “Contra o genocídio do povo negro. Nenhum passo atrás”. 

Outra acusação

Luiz Fernando Borges é acusado de homicídio consumado, com a qualificação de motivo torpe, e homicídio tentado, podendo pegar até 30 anos de cadeia. Ele perdeu a farda em abril deste ano e estava aguardando o julgamento no presídio de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife. A audiência iria ocorrer na 2º Vara do Tribunal do Júri, no terceiro andar do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano.

O homem também está sendo acusado de tentativa de assassinato contra outro menino, que na época tinha 13 anos. Na audiência, adiada sem data definida, a defesa e a acusação iriam apresentar suas versões para que um júri popular decidisse pela condenação ou não do ex-sargento.

O caso

O crime aconteceu em julho de 2016, na Avenida Dois Rios, no bairro do Ibura, Zona Sul do Recife. Os jovens estavam andando de bicicleta, quando colidiram com a moto do ex-PM e feriram o pé do homem. O mais novo fugiu e levou três tiros, mas sobreviveu, depois de se fingir de morto no local.

Segundo testemunhas, Mário levou uma coronhada e foi executado. “Um rapaz chegou a pedir para ele não fazer aquilo, mas ele o ameaçou também”, conta Joelma. O ex-sargento alegou se tratar de um assalto e chegou a ligar para a emergência policial. “Um caso explícito de execução de um jovem negro, pobre e periférico e esperamos que ele pegue mais de 30 anos de prisão”, afirma o promotor de acusação Guilherme Castro.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.