JUSTIçA

Médico suspeito de estupros na UPA da Imbiribeira é condenado

TV Jornal

-Reprodução/TV Jornal

A justiça condenou a 12 anos e 10 meses de prisão o médico acusado de estuprar duas pacientes em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Recife. Segundo a denúncia do Ministério Público de Pernambuco, o ortopedista Kid Nélio Souza de Melo, de 36 anos, abusou sexualmente de pacientes durante atendimento na unidade da Imbiribeira.

A primeira queixa contra o médico foi registrada em fevereiro do ano passado. Após o caso ser divulgado pela imprensa, mais de 10 mulheres procuraram a delegacia para denunciar o médico. Ele está preso preventivamente desde março do ano passado. O ortopedista ainda responde a mais quatro processos na justiça, referentes a crimes sexuais. A defesa de Kid Nélio disse que deve recorrer da sentença.

O caso

Uma jovem de 18 anos denunciou ter sido estuprada durante um atendimento médico, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, na Zona Sul do Recife, na manhã da quarta-feira (21/03).

O delegado da Polícia Civil, Jorge Ferreira, informou que a denúncia foi realizada por volta das 21h. Ele contou que, segundo o relato da jovem, ela teria sentido dores nos braços e na coluna, na noite da terça-feira (20/03). Na manhã do dia seguinte, a menina foi à unidade de saúde, onde o crime teria acontecido.

Ele disse ainda que a jovem teria ido à UPA por volta das 9h dessa quarta, e que durante o atendimento inicial não teve problemas. No entanto, depois de fazer exames solicitados pelo médico, quando voltou a ser atendida por ele, o homem teria fechado a porta da sala.

O delegado contou que, como a porta não possuía trinco, o homem obrigou a jovem a segurar, enquanto ele cometia o estupro. A menina relatou ainda que, assustada, rasgou a pulseira de atendimento e correu para casa, depois que o médico terminou de cometer o abuso.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.