Golpe na Previdência

Idosas suspeitas de integrar quadrilha que atua no Nordeste são presas


As duas idosas têm 68 anos e foram detidas tentando regularizar CPFs usando carteiras de identidade falsas

Karina Costa Albuquerque Karina Costa Albuquerque
Karina Costa Albuquerque
Karina Costa Albuquerque
Publicado em 14/10/2019 às 12:00
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Duas idosas, de 68 anos, que tentavam regularizar CPFs usando carteiras de identidade falsas, para dar entrada em aposentadorias, foram presas, no Agreste de Pernambuco. A suspeita é de que elas façam parte de uma quadrilha que atua na região Nordeste aplicando golpes na Previdência Social.

Ismerinda de Sousa foi presa na agência da Receita Federal de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Já Antônia Maria Batista Pequeno foi presa em uma agência da Receita Federal, em Limoeiro, também no Agreste. No momento das prisões, as idosas estavam tentando regularizar os CPFs usando carteiras de identidade roubadas no Rio Grande do Norte, em 2016.

Quadrilha

De acordo com a Polícia Federal, as idosas não se conhecem, mas fazem parte de uma quadrilha que atua em Pernambuco e mais três estados nordestinos aplicando golpes na Previdência Social. Outras quatro pessoas, que estavam acompanhando as mulheres nas agências, foram ouvidas e liberadas, após pagamento de fiança.

Prisão

As idosas estão presas. Segundo a polícia, Ismerinda de Sousa responde inquérito na Polícia Federal do Rio Grande do Norte, pelo mesmo crime. Ela foi encaminhada para a Colônia Penal Feminina de Buíque, no Agreste. Já Antônia Maria Batista está na Colônia Penal Feminina do Recife.