OPERAÇÃO

Presidente da Câmara de Nazaré da Mata é investigada por 'rachadinha'

A presidente da Câmara de Vereadores de Nazaré da Mata é investigada pelo desvio de R$ 1 milhão, em 'rachadinha'

Presidente da Câmara de Nazaré da Mata é investigada por 'rachadinha'

Um suposto esquema de corrupção, que teria desviado R$ 1 milhão, que seriam usados na campanha da vereadora à prefeitura, é investigado - Foto: Reprodução/Facebook Vereadora Maristela do Gás

A Operação Cavalo de Tróia, deflagrada pela Polícia Civil de Pernambuco, cumpriu, na manhã desta sexta-feira (27), 13 mandados de busca e apreensão e 14 de quebras de sigilo bancário e fiscal, nas cidades de Nazaré da Mata, Carpina e Buenos Aires, interior de Pernambuco.

Em Nazaré da Mata, foram cumpridos mandados nos setores jurídico e financeiro da Câmara de Vereadores, e no gabinete da Presidente da Câmara, a vereadora Maristela do Gás do (PHS). Na ocasião, as buscas também foram realizadas na casa e em um estabelecimento comercial da vereadora, além das residências de assessores da parlamentar.

De acordo com a polícia, Maristela está envolvida no esquema de rachadinha. As investigações apontam que ela ficava com parte do salário dos funcionários do gabinete e também repassava o dinheiro para as empresas da família.

>> Polícia faz operação contra quadrilha que pratica crimes desde 2010

>> Prefeito, vice e mais 15 pessoas são afastadas de cargos em Itapissuma

Apreensão

O material apreendido foi encaminhado para a sede do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco). O marido da vereadora também foi conduzido ao departamento. Segundo a polícia, ele afirma que é dono de 13 munições encontradas na casa da vereadora.

Investigações

A delegada do caso disse também que as investigações continuam e não descarta o envolvimento de outros gestores públicos nos crimes de lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa.

 

Outras operações

A polícia também deflagrou outras três operações nas cidades do Recife, Paulista, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho e Igarassu. Ao todo, 44 mandados de prisão foram expedidos, além de 49 mandados de busca e apreensão.

Os presos foram encaminhados para a sede do Grupo de Operações Especiais (GOE) e para o Depatri. As organizações criminosas são de grupos distintos, mas com envolvimento nos mesmo crimes: homicídios, extorsão, tráfico de drogas e associação para o tráfico.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.