PREVENçãO

Coronavírus: entenda como app da Prefeitura pode ajudar a se proteger

O aplicativo, liberado pela Prefeitura do Recife, possui diversas funções que ajudam a circular pela cidade com menos riscos de contrair o coronavírus

Coronavírus: entenda como app da Prefeitura pode ajudar a se proteger

Ferramenta também mapeia pessoas que foram contaminadas pela doença - Foto: Reprodução/TV Jornal

A Prefeitura do Recife liberou um aplicativo no qual é possível saber se o usuário teve contato com alguém infectado pelo novo coronavírus (covid-19).

O aplicativo tem diversas funções. A primeira delas é monitorar o risco de contaminação do usuário. Logo na primeira página, é possível ser se a pessoa teve ou não contato com infectados já identificados.

O status é atualizado com frequência. O nível 0 indica, que até a instalação do aplicativo, o usuário não teve contato com doentes, já no nível 3, onde o risco de infecção é mais alto, a pessoa teve um contato com algum infectado a uma distância de, no mínimo, 3 metros por, pelo menos, 10 minutos.

>> Aplicativo mostra se usuário já teve contato com pessoas infectadas pelo coronavírus; veja como baixar

Outra função do Dycovid é mostrar no mapa áreas de risco de contaminação. É possível saber, por exemplo, se perto do seu endereço a situação está complicada. O cálculo é feito com base na densidade de pessoas, o status de contaminação e o número de infectados confirmados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), na área.

Alertas de movimentação

No Dycovid, também é possível colocar alertas no mapa para saber como está o fluxo de pessoas em determinados locais. Às 7h, desta quinta-feira (28), a Estrada de Águas Compridas, em Olinda, e a Rua Vasco da Gama, na zona Norte do Recife, estavam com fluxo médio de pessoas.

Já a Estrada dos Remédios, em Afogados, Zona Oeste do Recife, indicava altíssimo fluxo de pessoas, nível mais alto de contaminação.

Uma hora depois, o movimento subiu muito na Estrada de Águas Compridas. O aplicativo alerta: quanto maior o fluxo de pessoas em uma localidade, maior será o risco de cruzar com infectados.

Se precisar sair, o Dycovid recomenda aguardar momentos em que o fluxo de pessoas é mais baixo.

Atende em Casa

A plataforma também tem um canal direto para o aplicativo Atende em Casa, caso o usuário esteja precisando de orientações médicas, e também um local onde é possível ter acesso a exames de covid-19.  

>> ONG distribui 450 refeições para comunidade em Olinda; veja como doar
>> Coronavírus: doação de sangue pode ser agendada respeitando quarentena
>> Hospital de Câncer precisa de ajuda para continuar atendendo pacientes
>> Mulher faz apelo por doação de sangue; veja como e onde doar
>> Menina de 3 anos com leucemia precisa de doação de sangue
>> Paróquia do Santíssimo Sacramento de Santo Antônio realiza campanha de arrecadação de máscaras para moradores de rua

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

>> Coronavírus: Profissionais de saúde do Recife criam campanha para arrecadação de doações
>> Núcleo de Apoio à Criança com Câncer afirma que doações caíram pela metade por causa do coronavírus
>> Pandemia do coronavírus: Lar do Neném pede doações para se manter
>> Delegacia de Boa Viagem e ONG fazem campanhas para arrecadar doações
>> Coronavírus: HCP e Detran lançam campanhas para arrecadar doações
>> Veja como ajudar e onde procurar ajuda neste cenário de coronavírus 

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.