CORONAVíRUS

Com comércio fechado, número de desempregados dispara em Pernambuco

A Fecomércio Pernambuco estima que praticamente 60% do comércio tenha sido atingido pela quarentena

Com comércio fechado, número de desempregados dispara em Pernambuco

Número de desempregados disparou no mês de abril - Foto: Wilson Dias/ABr

A crise provocada pela pandemia do novo coronavírus atingiu em cheio o mercado de trabalho. Se antes da pandemia do novo coronavírus, a alta taxa de desemprego já era uma realidade no Brasil, com boa parte do comércio de portas fechadas, o drama afeta ainda mais famílias. Em Pernambuco, o número de desempregados disparou no mês de abril, após o fechamento do comércio não essencial.

>> Governo de Pernambuco cria plano para retomar atividades econômicas em 11 semanas, mas não anuncia datas

A Fecomércio Pernambuco estima que praticamente 60% do setor tenha sido atingido pela quarentena. No Estado, o comércio emprega formalmente cerca de 300 mil trabalhadores e representa quase 20% de toda a mão de obra com carteira assinada.

Alta no seguro-desemprego

Segundo o economista Rafael Ramos, as solicitações de seguro-desemprego em Pernambuco sofreram duas altas consecutivas. A disparada do desemprego já é reflexo do fechamento do comércio não essencial. Os empresários mais afetados pela pandemia enfrentam uma queda brusca no faturamento e, muitos deles, não conseguem manter o pagamento da folha salarial, resultando no corte de vagas de trabalho.

>> Dois meses após início do isolamento, donos de restaurantes alegam grande prejuízo

Verbas rescisórias

O superintendente regional do trabalho em Pernambuco, Eduardo Geovane Leite, argumenta que o Governo tem criado ferramentas para evitar demissões durante esta pandemia do novo coronavírus. Ele esclarece ainda que, mesmo neste cenário atípico, a empresa que demitir o trabalhador sem justa causa é obrigada, por lei, a pagar todas as verbas rescisórias.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.