INVESTIGAÇÃO

Coronavírus: Polícia cumpre mandados em Pernambuco em operação que apura suposta fraude em licitações

A operação apura possíveis irregularidades em contrato com recursos públicos destinados ao combate do novo coronavírus. A Polícia Civil cumpre mandados no Recife e em Paudalho

Coronavírus: Polícia cumpre mandados em Pernambuco em operação que apura suposta fraude em licitações

Segundo a polícia, uma organização criminosa poderia ter cometido fraude em licitação destinada ao coronavírus - Foto: Tânia Rego/Arquivo/ABr

A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou, na manhã desta quarta-feira (3), uma operação para apurar possíveis irregularidades em contrato elaborado com recursos públicos destinados ao combate do novo coronavírus (covid-19). De acordo com informações da Polícia, existem indícios da existência de uma suposta organização criminosa voltada para a prática de crimes relacionados à fraude em licitação.

Dentro da 'Operação Inópia', estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, expedidos pela Vara de Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária. No entanto, a polícia ainda não informou quem são os alvos na operação e alegou que as informações serão divulgadas posteriormente.

Em Pernambuco, três mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Recife e Paudalho. Os outros dois estão sendo cumpridos pela Polícia Federal em Goiás e no Distrito Federal. A Operação fora deflagrada com o apoio da Polícia Federal, Controladoria Geral da União e Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado - MPPE.

Apneia 

Polícia Federal cumpriu, na última semana, mandados de busca e apreensão na Prefeitura do Recife investigando supostas irregularidades em contratos celebrados para aquisição de 500 respiradores pulmonares, por meio de dispensas de licitação, pela Secretaria de Saúde do Recife. O material seria usado no tratamento de pacientes com a covid-19.

A prefeitura informou, na ocasião, que a referida compra foi cancelada pela Secretaria de Saúde e o único valor pago, de R$ 1,075 milhão, foi devolvido pela empresa à Prefeitura no último dia 22. "Portanto, não há possibilidade de haver qualquer prejuízo à Prefeitura do Recife. Todos os procedimentos da Secretaria de Saúde estão sendo realizados dentro da legalidade".

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.