JUSTIÇA

Caso Miguel: MPPE anuncia denúncia contra Sarí Corte Real

Sarí foi denunciada por abandono de incapaz com resultado de morte e pode ter pena agravada; entenda

Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 14/07/2020 às 11:00
Yaci Ribeiro/JC Imagem
FOTO: Yaci Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) anunciou, nesta terça-feira (14), que a primeira dama de Tamandaré, Sarí Corte Real, foi denunciada pela morte de Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos.

A criança estava sob os cuidados da primeira dama quando caiu do nono andar (altura de aproximadamente 35 metros) do Edifício Píer Maurício de Nassau, no bairro São José, área central do Recife, no dia 2 de junho.

Sarí Corte Real foi denunciada por abandono de incapaz com resultado de morte. O promotor de justiça do caso foi Eduardo Tavares. O nome dele foi mantido em sigilo, sendo divulgado apenas com a decisão da denúncia.

Na denúncia, o promotor pediu agravamento de pena porque o crime foi contra criança em meio à conjuntura de calamidade pública.

Confira nota do MPPE na íntegra

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio do promotor de Justiça criminal Eduardo Tavares, apresentou, na manhã desta quarta-feira (14), denúncia (NPU 004416-62.2020.8.17.0001) contra Sari Mariana Costa Gaspar Corte Real, na 1ª Vara de Crimes contra Criança e Adolescente da Capital, nas penas do art.133, §2º, por abandono de incapaz com resultado de morte, combinado com o art.61, inciso II, alíneas “h” e “j”, do Código Penal brasileiro, que agravam as penas por ter sido contra criança em meio à conjuntura de calamidade pública.

Justiça

Em sua última declaração durante entrevista à TV Jornal nessa segunda-feira (13), a mãe de Miguel clamou por justiça no caso do filho. "Espero que o promotor não seja manipulado. Que ele realmente analise o inquérito de Miguel e que aceite a denúncia. Dr. Ramon Teixeira (delegado responsável pelo caso) fez um excelente trabalho, coletando todas as testemunhas. Está tudo bem feito e bem investigado. A única coisa que queremos é isso, que seja bem analisado o caso de Miguel e que seja aceita a denúncia, para que realmente a justiça seja feita", finalizou.

>>>Caso Miguel: Tenho fé em Deus que a denúncia vai ser aceita", diz Mirtes

View this post on Instagram

Familiares, amigos e integrantes de movimentos sociais se reuniram na Praça da República, área central do Recife, durante a manhã desta segunda-feira (13), para pedir justiça pela morte do Menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos. Após a concentração, o grupo saiu em passeata até o Ministério Público de Pernambuco (MPPE).A mãe do garoto, Mirtes de Souza, esteve presente na ocasião. O objetivo do ato foi de pressionar a instituição, que vai anunciar nesta terça-feira (14) o posicionamento sobre o inquérito da Polícia Civil, que indiciou a primeira dama de Tamandaré e ex-patroa da mãe do garoto, Sarí Corte Real, por abandono de incapaz seguido de morte. Saiba mais em TVJORNAL.com.br #TVJornal #Notícias #CasoMiguel #Protesto #Criança #Morte #Mirtes #Sarí #MPPE #Inquérito Fotos: Wellington Lima / JC Imagem

A post shared by TV Jornal | SBT (@tvjornalsbt) on

Relembre o caso

No dia 2 de junho de 2020, o garoto Miguel Otávio Santana da Silva morreu após cair de uma altura de aproximadamente 35 metros, no Condomínio Píer Nassau, popularmente conhecido como Torres Gêmeas, localizado no bairro de São José, região central do Recife.

Ele era filho de Mirtes Renata Santana de Souza, empregada doméstica de Sarí Côrte Real, esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker (PSB). O fato aconteceu quando Sarí mandou Mirtes passear o cachorro da família e se responsabilizou por olhar o garoto.

+VÍDEOS