FEIRA

Cesta básica: veja quais alimentos ficaram mais caros no Recife

Pesquisa revelou que aumento na cesta básica do Recife, nos últimos 12 meses, foi o maior entre as capitais


Cesta básica: veja quais alimentos ficaram mais caros no Recife

Nos últimos 12 meses, a maior alta foi registrada na cidade do Recife, um aumento de 21,44%, resultando na cesta de R$ 439,19. - Foto: Divulgação

A cesta básica está mais cara, no Recife. É o que aponta uma pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), na sexta-feira (4). 

>> Nos últimos oito meses, cesta básica sobe mais de 11% no Recife

Em agosto, houve um aumento dos alimentos básicos, em 13 das 17 capitais pesquisadas. Nos últimos 12 meses, a maior alta foi registrada na cidade do Recife, um aumento de 21,44%, resultando na cesta de R$ 439,19.

Assista

Produtos

No mês de agosto, a capital pernambucana teve alta de 0,7% e, no acumulado de janeiro a agosto de 2020, 11,53%. Os produtos que apresentaram alta em relação a julho foram:

  • leite integral
  • farinha de mandioca
  • arroz agulhinha
  • óleo de soja
  • carne bovina
  • açúcar
  • pão francês
  • manteiga e banana

Dados - Recife

  •  Valor da cesta: R$ 439,19.
  •  Variação mensal: 0,71%.
  •  Variação no ano: 11,53%.
  •  Variação em 12 meses: 21,44%.
  • Produtos com alta de preço médio em relação a julho: leite integral (10,79%), farinha de mandioca (5,56%), arroz agulhinha (4,67%), óleo de soja (4,15%), carne bovina (4,11%), açúcar (2,36%), pão francês (0,88%), manteiga (0,69%) e banana (0,17%).
  • Produtos com redução de preço médio em relação a junho: tomate (8,70%), feijão carioquinha (-5,17%) e café (0,18%).
  • Jornada necessária para comprar a cesta básica: 92 horas e 28 minutos.
  •  Percentual do salário mínimo líquido gasto para compra dos produtos da cesta para uma pessoa adulta: 45,44%.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.