LEVANTAMENTO

Pesquisa da Fecomércio discorda de benefícios do escalonamento de horários para o transporte público

Segundo o Presidente da Fecomércio-PE, Bernardo Peixoto, esse escalonamento já existe há muito tempo e ainda assim o trabalhador sofre com transporte público

Pesquisa da Fecomércio discorda de benefícios do escalonamento de horários para o transporte público

Segundo o Presidente da Fecomércio-PE, Bernardo Peixoto, esse escalonamento já existe há muito tempo e ainda assim o trabalhador sofre com transporte público - Foto: Bruno Campos / JC Imagem

A espera longa para embarcar em ônibus superlotados era realidade antes e continua sendo a situação durante a pandemia do novo coronavírus na Região Metropolitana do Recife. Por isso, donos de empresas de ônibus propõe mudanças no horário de funcionamento do comércio e de outros serviços como solução para desafogar o sistema nos horários de pico. Porém, uma pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco (Fecomércio-PE), revelou outra realidade. 

De acordo com a Fecomércio, a pesquisa foi feita em quatro terminais de ônibus da RMR. Mais de 1.400 passageiros foram entrevistados. Segundo o Presidente da Fecomércio-PE, Bernardo Peixoto, esse escalonamento já existe há muito tempo e ainda assim o trabalhador sofre com transporte público.

Além disso, a pesquisa revelou também que 34% dos entrevistados reclamam do tempo de espera grande entre uma viagem e outra. 32% reclamaram da superlotação, 22 % da redução de linhas de ônibus e 12% da distância da parada de ônibus para o local de trabalho. A falta de ônibus nos horários fora do pico faz com que muita gente saia mais cedo de casa, se submetendo ao empurra-empurra, para não se atrasar nos compromissos.

Levantamento

O levantamento revelou ainda que 97% das pessoas dizem que usam máscaras e 74% também usam álcool em gel no transporte. Mesmo assim, trabalhadores expostos à superlotação preocupa a federação, principalmente num contexto de pandemia.

Resultados

Os resultados da pesquisa vão ser debatidos por especialistas e devem ajudar na criação de projetos para tentar resolver o problema de mobilidade, que é antigo, mas que se agrava na pandemia.

Nota da Urbana

A pesquisa contratada pela Fecomércio evidencia aspectos conhecidos sobre o transporte público na Região Metropolitana do Recife: a concentração dos deslocamentos para o trabalho nos horários de pico e a necessidade de reduzir o tempo de espera e deslocamento nos ônibus. Os dados reforçam as propostas apresentadas pela Urbana-PE de revisão do modelo de custeio, escalonamento dos horários das atividades das cidades e de ampliação das faixas e corredores exclusivos, de forma a possibilitar uma melhor qualidade na oferta, reduzir a concentração dos deslocamentos nos horários de pico e diminuir os tempos totais das viagens.

Nota do Grande Recife

O Grande Recife informa que, mesmo com a retomada de alguns setores da economia, tem registrado uma demanda de passageiros abaixo daquela vista antes da pandemia da Covid-19. Ainda assim, o Consórcio tem procurado manter uma oferta de ônibus superior à demanda de passageiros transportados. Atualmente, a procura pelos coletivos está na casa dos 60% enquanto a frota em operação está numa média de 70%, com algumas linhas com 100% da frota. É importante destacar que foram estabelecidos horários diferenciados para algumas atividades, como comércio, serviços e shoppings, o que contribuiu para um maior distensionamento do pico no horário da manhã. Fiscais e técnicos do Grande Recife continuam acompanhando, diariamente, a programação e fazendo os devidos ajustes. Inclusive, reativando linhas que haviam sido temporariamente desativadas devido à queda no número de usuários transportados.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.