CASO MIGUEL

Caso Miguel: UFRPE cria instituto voltado aos cuidados da infância à velhice em homenagem ao garoto

A mãe de Miguel, Mirtes Renata, vai participar das atividades do instituto, que vai ser inaugurado no mês que vem

Caso Miguel: UFRPE cria instituto voltado aos cuidados da infância à velhice em homenagem ao garoto

A mãe de Miguel, Mirtes Renata, vai participar das atividades do instituto, que vai ser inaugurado no mês que vem - Foto: Wellington Lima/JC Imagem

O menino Miguel Otávio, de 5 anos, que morreu no dia 2 de junho após cair do 9º andar do edifício Píer Maurício de Nassau, no bairro de Santo Antônio, no Centro do Recife, vai ganhar um instituto em sua homenagem. A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) criou o instituto 'Menino Miguel', que vai desenvolver pesquisar e propostas de políticas públicas voltas para o cuidado com a vida. 

O projeto criado pela universidade será voltado aos cuidados com a vida da infância à velhice e tem como objetivo trazer bem estar a população.

 

Inauguração

O instituto será inaugurado no dia 13 de outubro e irá funcionar dentro da universidade. A primeira etapa do projeto reunirá a Escola de Conselhos de Pernambuco, os núcleos do cuidado humano e de envelhecimento além do observatório da família.

Convite

A mãe de Miguel, a emprega doméstica Mirtes Renata, recebeu o convite com entusiasmo. Ela vai participar das atividades referentes ao instituto.

Relembre o caso

O menino Miguel morreu no dia 2 de junho e o caso gerou grande repercussão. O menino estava aos cuidados da patroa da mãe dele, Sari Gaspar Corte Real, esposa do prefeito de Tamandaré Sérgio Hacker. Sarí foi indiciada por abandono de incapaz com resultado de morte e aguarda julgamento em liberdade.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.