RETOMADA

Estudantes, pais e profissionais da Educação estão ansiosos e preocupados com o retorno das aulas presenciais

As opiniões se dividem entre os riscos de contaminação do novo coronavírus (covid-19) e o desenvolvimento intelectual dos estudantes

Estudantes, pais e profissionais da Educação estão ansiosos e preocupados com o retorno das aulas presenciais

Estudante Joana Xavier, de 15 anos, cursa o 1º ano em um colégio particular - Foto: Day Santos/TV Jornal

A definição do calendário para o retorno das atividades presenciais nas escolas de Pernambuco deixou estudantes, pais de alunos e profissionais da Educação ansiosos e também preocupados. As opiniões se dividem entre os riscos de contaminação do novo coronavírus (covid-19) e o desenvolvimento intelectual dos estudantes.

É o caso da estudante Joana Xavier, de 15 anos, no 1º ano de um colégio particular. Por enquanto ela permanece com as aulas virtuais, mas não vê a hora de voltar para as presenciais. Segundo a mãe dela, Leila Xavier, admite que ainda está na dúvida se vai permitir ou não o retorno da filha.

 

Retorno é uma necessidade

Já para o estudante Melk Victor Ferreira, de 16 anos, que cursa o 3º ano em uma escola estadual, este retorno não é uma opção e sim uma necessidade. Tendo apenas um celular a disposição e com a internet fraca, ele admite que o aprendizado está prejudicado. A mãe de Melk, a dona de casa Elisandra Ferreira apoia a volta à escola do filho e torce para o desenvolvimento dele.

Receio

Além disso, do lado dos estudantes, existe expectativa, mas também receio, como conta a aluna Ellen Nayara de 16 anos que estuda em uma escola estadual de Cabrobó, no Sertão.

Cronograma

As datas de retorno das aulas presenciais, começa com os estudantes que estão no 3º ano do ensino médio, a partir do dia 06 de outubro, do 2º ano para o dia 12 de outubro e 1º ano no dia 20 de outubro.

Aulas para educação infantil e ensino fundamental continuam suspensas

As aulas presenciais para educação infantil e ensino fundamental continuam suspensas. Mas, para o Diretor do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado, Arnaldo Mendonça, já é um avanço que na opinião dele já deveria ter acontecido antes.

Protocolo contra o coronavírus

  • Reduzir a ocupação das salas de aula;
  • Adotar revezamento de turmas, se necessário.

Distanciamento social

  • Manter, pelo menos, 1,5 m (um metro e meio) de distância entre os estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores, em todos os ambientes do estabelecimento de ensino;
  • Estabelecer o número de estudantes por turma, observando rigorosamente as normas de distanciamento, 1,5m (um metro e meio) entre as bancas escolares, reduzindo a quantidade de estudantes, se necessário;
  • Promover diferentes intervalos de entrada, saída e alimentação entre as turmas, com o objetivo de evitar aglomerações.

Prevenção/proteção

  • Utilizar a máscara de forma obrigatória e contínua, por todas as dependências do estabelecimento de ensino, devendo ser observadas as orientações específicas quando se tratar de crianças até dois anos de idade;
    disponibilizar, para uso dos estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores local para lavagem frequente das mãos, provido de sabão, toalhas de papel além da disponibilização do álcool 70%, em pontos estratégicos de fácil acesso;
  • Higienizar grandes superfícies com os seguintes produtos: hipoclorito de sódio a 0.1%; alvejantes contendo hipoclorito (de sódio, de cálcio) a 0,1%; dicloroisocianurato de sódio (concentração de 1,000 ppm de cloro ativo); iodopovidona (1%); peróxido de hidrogênio 0.5%; ácido peracético 0,5%, quaternários de amônio, por exemplo, o Cloreto de Benzalcônio 0.05%; compostos fenólicos;
  • Desinfetantes de uso geral aprovados pela Anvisa, observando as medidas de proteção, em particular o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) quando do seu manuseio.

Monitoramento e educação

  • Elaborar cartilha de orientação sobre os cuidados básicos de prevenção do novo coronavírus para disponibilizar pela internet para estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores;
  • Orientar estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores dos estabelecimentos de ensino que apresentarem sintomas gripais, e os seus contatos domiciliares, a acessarem o aplicativo “Atende em Casa” (www.atendeemcasa.pe.gov.br). Durante o acesso, serão orientados sobre como proceder com os cuidados, inclusive sobre a necessidade de procurar um serviço de saúde.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.