CASO DE POLíCIA

Dono de Haras, suspeito de atirar e matar funcionário da Celpe, segue foragido

O suspeito atirou e matou o funcionário ao ser informado que teria a luz da propriedade cortada. O corpo do eletricista foi enterrado na tarde dessa quarta

Dono de Haras, suspeito de atirar e matar funcionário da Celpe, segue foragido

Funcionário da Celpe foi morto em Limoeiro - Foto: Reprodução/WhatsApp

O dono do Haras, suspeito de atirar e matar funcionário terceirizado da Celpe, na hora em que foi comunicado que teria a luz da propriedade cortada, em Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, segue foragido. De acordo com a polícia, após o corte de energia, o dono do Haras teria demonstrado insatisfação, atirando contra a vítima.

Em seguida, ainda com a arma em mãos, teria obrigado um segundo funcionário da Celpe a religar a energia, sob ameaça de morte. Ainda segundo a policia, o suspeito também teria obrigado o funcionário a entrar no porta malas da viatura de trabalho e, em seguida, fugiu.

 

Enterro

O corpo do eletricista foi enterrado na tarde dessa quarta-feira (30).

Relembre o crime

A delegacia de Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, está investigando o assassinato de um funcionário da Celpe, ocorrido no fim da tarde dessa terça-feira (29). O crime teria acontecido após o corte do fornecimento de energia de um Haras, localizado às margens da rodovia PE-95, na saída Limoeiro sentido Passira.

O eletricista José Reginaldo de Santana Júnior, de 31 anos, morador da cidade de Carpina, foi morto com um único disparo de arma de fogo. De acordo com informações repassadas pela 6ª Companhia Independente da Polícia Militar, o principal suspeito de efetuar o disparo é o dono da propriedade.

Nota da Celpe na íntegra

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) recebeu com consternação a notícia do assassinato do colaborador José Reginaldo de Santana Júnior, de 31 anos, na tarde desta terça-feira (29). A Celpe lamenta o ato brutal praticado contra o eletricista e informa que está prestando o apoio necessário à família da vítima. O crime ocorreu durante o procedimento legal de suspensão do fornecimento de energia por inadimplência, na zona rural de Limoeiro, Agreste pernambucano. A empresa condena, veementemente, qualquer conduta violenta, sobretudo que atente contra a vida. O departamento Jurídico da concessionária está acompanhando a instauração do procedimento investigativo policial e demanda das autoridades públicas o pleno cumprimento da lei.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.