Operação

Polícia deflagra operação para prender suspeitos de violência contra idosos


Ministério da Justiça e Segurança Pública determinou que as polícias intensificassem ações para evitar que idosos sejam vítimas de violência doméstica

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 04/12/2020 às 9:51
Marcelo Camargo/ABr
FOTO: Marcelo Camargo/ABr
Leitura:

Na manhã desta sexta-feira (4), a Polícia Civil de Pernambuco deflagrou a operação Vetus. O objetivo é cumprir mandados de busca e apreensão contra pessoas que são suspeitas de praticar violência contra idosos.

>> Após roubar R$ 4 milhões de cliente no Recife, advogado é preso durante operação da PF

Em Pernambuco, os policiais se reuniram no Departamento De Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e, pelo menos, sete viaturas já saíram e foram às ruas para cumprir os mandados de busca e apreensão.

>> Operação conjunta apreende mais de 3 mil comprimidos de ecstasy na Zona Sul do Recife

Mandados

Não se tem muitas informações dos locais onde os mandados serão cumpridos, o que se sabe é que, ao menos, um dos alvos é na cidade de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife.

>> Polícia Civil: Operação desarticula organização criminosa em Toritama

Violência contra idosos

Desde o dia 1º de outubro, Dia Internacional da Pessoa Idosa, o Ministério da Justiça e Segurança Pública determinou que as polícias estaduais intensificassem operações e prisões para tentar evitar que novos idosos sejam vítimas de violência doméstica, crime que aumentou bastante, na pandemia.

>> Casal é preso após agredir idosa cadeirante e irmã dela na Zona Sul

Desde esse dia, a Polícia Civil do Estado já instaurou 576 processos investigativos. Mais de 1050 vítimas de violência contra idosos foram atendidas e 42 agressores foram presos.

A operação

A operação é comandada pela delegada Teresa Nogueira, da Delegacia do Idoso. Ela não pode adiantar detalhes sobre os alvos, mas os policiais estão nas ruas.

Abrigo clandestino

No início da semana, a polícia fechou um abrigo clandestino, que funcionava no bairro da Mangabeira, na Zona Norte da capital, e mantinha 13 idosos, em condições deploráveis.

O local não tinha alvará de funcionamento, não fazia o acompanhamento de saúde e ainda servia alimentos estragados.