PANDEMIA

Mês de março é marcado por quarentena mais rígida para conter o avanço da covid-19 em Pernambuco

O mês de março foi destaque no quadro 'Notícia do Mês', do TV Jornal Meio-Dia


Mês de março é marcado por quarentena mais rígida para conter o avanço da covid-19 em Pernambuco

Rua vazia no Centro do Recife durante o período de quarentena - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Todos os dias, o TV Jornal Meio-Dia, mostra dezenas de fatos que acontecem em Pernambuco. E um fato marcante mereceu destaque no quadro: Notícia do Mês. É que março foi marcado pela quarentena mais rígida, que começou há 14 dias, à fim de conter o avanço do novo coronavírus (covid-19), no Estado. 

Os primeiros dias de março já sinalizavam o que estava por vir devido ao agravamento da doença. Nesse mês, o Samu Metropolitano Recife já vinha batendo recordes de chamadas para atendimento de pessoas com sintomas de Síndrome Respiratória Aguda Grave. Com a gravidade, logo no dia 1°, o Governo de Pernambuco decretou o fechamento dos bares, restaurantes, praias e parques nos fins de semana para tentar frear o aumento do número de casos.

Contudo, nada foi adiantado. No dia 15 de março, a ocupação de leitos de UTI da rede pública, destinados a pessoas com covid-19, chegou a 97%. Na época, tinham 1.209 pessoas internadas. Nesse dia, o governador de PE, Paulo Câmara, decretou a quarentena mais rígida, que valeria, inicialmente, do dia 18 até 28 de março. Na coletiva de anúncio, o secretário Estadual de Saúde, André Longo, também alertou sobre a situação do Estado.

>>Em 10 dias de quarentena, Procon interditou seis estabelecimentos em Pernambuco

Polêmica

O decreto gerou polêmica grande entre os pernambucanos. Foi determinado o fechamento do comércio, escolas e universidades, praias, parques, academias. Os shoppings e as lojas só estavam autorizados a funcionar em esquema de delivery ou coleta.

O decreto permitiu também o funcionamento de muitos outros estabelecimentos, que tinham sido proibidos de funcionar na quarenta do ano passado, como, por exemplo, as concessionárias de carros. Por causa disso, vários protestos aconteceram. Os motoristas de vans e ônibus de turismo, donos de academia, personal trainer e comerciantes. Apesar das manifestações, a fiscalização acontecia diariamente.

Nas praias e calçadões, algumas pessoas insistiam em desrespeitar o decreto. Por outro lado, também teve quem apoiasse a decisão do governo de impor a quarentena mais rígida. Durante todo esse período, policiais e guardas municipais orientavam a população.

>>Insatisfeitos com quarentena, comerciantes fazem protesto em vários pontos do Recife

Quarentena estendida

Após pressões de vários setores da economia, o Governo do Estado estendeu a quarentena mais rígida só até dia 31 de março.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.