EDUCAçãO

Escolas da rede estadual de Pernambuco retomam aulas presenciais; greve dos professores continua

Sindicato dos Professores insiste em manter a greve deflagrada na semana passada. O impasse acontece por causa do avanço da pandemia. A categoria teme novos casos de covid-19, com a volta às aulas

Escolas da rede estadual de Pernambuco retomam aulas presenciais; greve dos professores continua

Ao todo, cerca de 87 mil alunos, em todo o Estado, retornaram às atividades. - Foto: Wellington Lima/TV Jornal

As escolas da rede estadual de ensino de Pernambuco retomaram, na manhã desta segunda-feira (19), as aulas presenciais, seguindo o novo plano de convivência com a covid-19. De acordo com o secretário Executivo de Educação de Pernambuco, Leonardo Santos, todos os protocolos de segurança contra a covid-19 estão sendo adotados nas escolas públicas do Estado, como aferição de temperatura, o uso obrigatório de máscaras e do álcool em gel, e o distanciamento entre as bancas, em sala de aula.

De acordo com a Secretaria de Educação, além do 3º ano do ensino médio, estudantes da educação infantil e do 1º ao 5º ano do ensino fundamental voltaram às aulas, hoje. Ao todo, cerca de 87 mil alunos, em todo o Estado, retornaram às atividades.

Alunos aprovam

O estudante Ítalo Marques, por exemplo, acordou cedo para voltar à Escola de Referência em Ensino Médio Santos Dumont, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

O aluno conta que estava sem assistir a aulas presenciais desde o dia 18 de março, quando o Governo do Estado decidiu suspender todas as atividades nas escolas, por causa do avanço da pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, o retorno foi o momento mais esperado.

O sentimento de Ítalo é compartilhado também pela estudante Beatriz Fontes, que confessa render mais na escola do que estudando de forma remota.

 

>> Pandemia: Escolas da rede particular recebem primeiro grupo de alunos no retorno às aulas em Pernambuco

Greve dos professores

A volta às aulas acontece em meio a uma polêmica, porque, na semana passada, o Sindicato dos Professores do Estado decidiu decretar greve, por causa do avanço da pandemia do novo coronavírus em Pernambuco.

O governo estadual entrou na justiça contra a paralisação. No último fim de semana, o Tribunal de Justiça acatou o pedido, decretou o fim da greve e estabeleceu uma multa diária de R$ 200 mil ao sindicato, em caso de descumprimento da ordem judicial.

Segundo o secretário Executivo de Educação, caso algum professor falte sem justificativa, terá o ponto cortado.

Paralisação mantida

Mesmo com a ordem da justiça, a vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco, Ivete Caetano, afirmou que a paralisação está mantida.

>> Sintepe diz que greve dos professores está mantida, mesmo após TJPE determinar fim do movimento

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.