'OPERAçãO QUINTA PARCELA'

Operação da Polícia Federal prende suspeitos de fraudes no auxílio emergencial em Pernambuco

As ações acontecem em Pernambuco e em mais seis estados

Operação da Polícia Federal prende suspeitos de fraudes no auxílio emergencial em Pernambuco

Em Pernambuco, a Polícia Federal cumpriu cinco mandados de prisão temporária e 11 mandados de busca e apreensão, em Caruaru, Palmares, Lagoa do Carro e Paudalho - Foto: Marcello Casal Jr./ABr

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (29), a 'Operação Quinta Parcela', para combater fraudes no auxílio emergencial, que beneficia parte da população brasileira com dificuldades financeiras, por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19). 

Segundo a Polícia Federal, a operação visa a identificar fraudes massivas e desarticular organizações criminosas, com a identificação de seus integrantes, além de recuperar os valores para o erário. Em todo o País, estão sendo cumpridos 37 mandados de busca e apreensão, cinco mandados de prisão temporária e três mandados de sequestro de bens, perfazendo um total de, aproximadamente, de R$ 140 mil bloqueados por determinação judicial.

Ações

As ações estão sendo efetivadas nos Estados do Pará, Tocantins, Goiás, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e São Paulo, com a participação de, aproximadamente, 140 policiais federais.

>> Calendário do auxílio emergencial 2021 e do Bolsa Família: veja se recebe ou saca R$ 150, R$ 250 ou R$ 375 nesta quinta (29)

Pernambuco

Em Pernambuco, a Polícia Federal cumpriu cinco mandados de prisão temporária e 11 mandados de busca e apreensão, em Caruaru, Palmares, Lagoa do Carro e Paudalho. Valores mantidos em contas bancárias de oito pessoas também foram bloqueados, depois que a investigação apontou que esses suspeitos teriam se beneficiados de, pelo menos, 96 contas do auxílio emergencial fraudadas.

Segundo a investigação, os envolvidos teriam efetuado pagamentos de 74 boletos bancários, utilizando maquinetas de cartão de crédito, e também realizando transações por e-commerce, entre 5 de maio e 3 de junho do ano passado. O prejuízo com as fraudes é de mais de R$ 60 mil.

A investigação busca identificar os demais membros dessa organização, outros benefícios porventura cadastrados e sacados/movimentados de forma fraudulenta, bem como o destino dos valores desviados, para sua recuperação.

>> MTST: Protesto contra cortes no Orçamento 2021 e por auxílio emergencial de R$ 600 complica trânsito na Avenida Agamenon Magalhães

Crimes

Os suspeitos são investigados pela prática dos crimes de estelionato qualificado, associação criminosa, lavagem de dinheiro e constituir/integrar organização criminosa. As penas, se somadas, em caso de condenação, podem chegar a 30 anos de reclusão.

>> Auxílio emergencial 2021: veja como consultar se vai receber e como contestar se não estiver na lista

Operação

Segundo a PF, o nome da operação faz referência à quinta fase da operação coordenada nacionalmente pela Coordenação Geral de Polícia Fazendária-CGPFAZ, que visa a combater as fraudes perpetradas contra o auxílio emergencial.

Os trabalhos realizados são resultantes de uma união denominada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa Econômica Federal, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.