DENúNCIA

Angústia toma conta de família que luta por leito de UTI para bebê de apenas 21 dias no Recife

Segundo o pai da criança, apesar da urgência por leito de Terapia Intensiva Neonatal, todas as vagas estão ocupadas no Hospital Barão de Lucena


Angústia toma conta de família que luta por leito de UTI para bebê de apenas 21 dias no Recife

A família já tem um documento assinado por um dos médicos da unidade para encaminhar o caso ao Ministério Público de Pernambuco. - Foto: Pixabay

Uma família sofre com a angústia, diariamente, à fim de conseguir um leito de UTI para um bebê de apenas 21 dias de nascido. A criança está intubada, em estado grave, na Emergência Pediátrica do Hospital Barão de Lucena, no Recife. De acordo com o pai da criança, Thiago Monteiro, o bebê apresentou na última terça-feira (4), cansaço, muita secreção e dificuldade para respirar.

Ao ver a situação delicada do bebê, a família decidiu levá-lo a UPA de Engenho Velho, em Jaboatão. No local, os médicos teriam afirmado que o quadro dele exigia um suporte médio maior, sendo necessário transferi-lo ao Hospital Barão de Lucena. Mesmo diante da gravidade, para a surpresa do pai, o bebê de apenas 20 dias de vida encontra-se na emergência pediátrica do hospital por falta de vaga na UTI Neonatal.

A família já tem um documento assinado por um dos médicos da unidade para encaminhar o caso ao Ministério Público de Pernambuco. Mas enquanto um leito de terapia intensiva não surge, o pai teme uma piora no estado de saúde. Segundo ele, mesmo o filho tendo testado negativo para a covid-19, o risco de contrair o vírus ainda preocupa, já que o menino estaria em uma ala com muitas crianças de quadro semelhante.

>>Em estado grave com covid-19, bebês esperam por vagas em UTI de hospital no Recife

Problemas no hospital

Esta não é a primeira vez que o Hospital Barão de Lucena é criticado por acompanhantes de pacientes. Na semana passada, a TV Jornal mostrou a denúncia de várias pessoas relatando problemas na unidade.

A presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco tem acompanhado de perto a situação e relata alta demanda de pacientes na unidade e falta de equipamentos. 

Nota do Hospital

Em nota, a direção do Hospital Barão de Lucena reconheceu a grande demanda de pacientes mas afirmou que vem garantindo o suporte necessário a todos que dão entrada na emergência. A unidade negou a falta de kits para intubação, insumos ou medicamentos e disse que aqueles que precisam de uti, enquanto aguardam um leito, recebem a devida assistência.

Sobre a denúncia de casos suspeitos de covid na emergência, a unidade afirmou que todo paciente com quadro de síndrome respiratória aguda grave precisa ficar em ala específica para realização de exame e aguardar a confirmação ou não da doença.

Caso seja descartada, há transferência para ala não covid. A direção comunicou ainda que a equipe de plantonistas foi reforçada em 75% para atender a demanda, que normalmente é maior entre os meses de março e junho, quando há aumento na incidência de vírus respiratórios.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.